Estoque de crédito tem leve alta em novembro para R$ 3 trilhões – Valor

BRASÍLIA  –  O saldo das operações de crédito do sistema financeiro subiu 0,4% em novembro, para R$ 3,063 trilhões. Em 12 meses, a queda está em 1,3%, menor que o 2% de retração acumulados até outubro.

Para 2017, o Banco Central (BC) estima um crescimento de 1% para o crédito, dado que pode ser revistado ainda hoje. Em 2016, o estoque caiu 3,5% e marcou o pior ano para o mercado de crédito desde a adoção do Plano Real em 1994.

Como proporção do Produto Interno Bruto (PIB) estimado pelo BC, o estoque de operações subiu de 46,9% em outubro para 47% no mês passado.

O saldo total do crédito livre avançou 1% em novembro sobre o mês anterior, chegando a um total de R$ 1,553 trilhão. Em 12 meses, a alta foi de 0,3%. O crédito direcionado recuou 0,3% em novembro, atingindo o volume de R$ 1,511 trilhão. Em 12 meses, a queda e de 2,9%.

O saldo total de crédito para as famílias aumentou 0,8% em novembro, e 5,8% em 12 meses, chegando a R$ 1,640 trilhão. Para as empresas, a queda no mês foi de 0,2%, chegando a um total de R$ 1,423 trilhão. Medido em 12 meses, a queda é de 8,4%.

Juros

A taxa de juro média cobrada pelo sistema financeiro nas suas operações de credito registrou queda de 0,6 ponto percentual, saindo de 27,4% em outubro para 26,8% no mês passado. No ano, as taxas recuam 5,4 pontos, com baixa de 6,4 pontos em 12 meses.

Em novembro, a queda dos juros aconteceu para empresas e famílias. A taxa das pessoas jurídicas saiu de 18% para 17,7%. Para as pessoas físicas, a taxa ficou em 33,4% vindo de 34,2%.

Olhando o juro com recursos livres, a taxa para as pessoas físicas caiu de 59,5% ao ano em outubro para 58,1% no mês passado. O custo do dinheiro para as empresas saiu de 23,3% para 22,9%. Com isso, o juro total com recursos livre fechou o mês em 42,7% vindo de 43,6% em outubro.

A queda dos juros médios do sistema mostra compatibilidade com a redução do spread, que saiu de 20,5 pontos percentuais em outubro para 20 pontos em novembro. Já o custo de captação das instituições cedeu de 6,9% ao ano em outubro para 6,8% em novembro. No ano, o custo de captação cai 2,7% pontos e spread também cai 2,7 pontos. Em 12 meses, o custo de captação cai 2,8 pontos, enquanto o spread recua 3,6 pontos.

Nas operações de crédito com pessoas físicas, o “spread” ficou em 26,7 pontos percentuais, ante 27,4 pontos em outubro. No crédito às empresas foi verificada queda de 11 pontos percentuais para 10,7 pontos no mês passado.

Fonte Oficial: Valor.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!