Empresas de hardware registram 11% de aumento nos lucros – Jornal do Comércio

O setor de fabricação de dispositivos está adotando o software, em detrimento do hardware, como modelo de negócio principal. A conclusão é de um levantamento realizado pela Gemalto, especializada em segurança digital, junto a tomadores de decisão de 300 empresas de fabricação de dispositivos em cinco grandes mercados globais.

O relatório “Como o software está alimentando o renascimento do hardware” evidencia que a maioria (84%) das organizações do setor está mudando o modo como opera. Quase quatro em cada 10 delas (37%) já realizaram uma mudança total para um modelo de negócios centrado no software, um que coloque o software na essência de como a empresa oferece valor e gera receita.

A pesquisa também concluiu que 94% dos entrevistados aumentaram seu investimento no desenvolvimento de software nos últimos cinco anos. A Alemanha lidera. Todas (100%) as organizações alemãs questionadas impulsionaram seus serviços baseados em software durante esse período, com a França em segundo lugar (98%) e os EUA (93%) em terceiro.

A mudança destaca como o software tem se tornado crucial para os fabricantes de dispositivos, especificamente ao melhorar o desempenho e o crescimento da receita das empresas. E, conforme os usuários finais começam a exigir mais opções e controle dos seus dispositivos e dados, setores inteiros estão sendo forçados a alterar seus modelos e estratégias de negócios para atender seus clientes.

As empresas de tecnologia de hardware já estão colhendo benefícios substanciais. Das que mudaram seus modelos, o crescimento médio na receita foi de 11%. Elas esperam um maior crescimento nos próximos cinco anos, com a receita a partir do software projetada para crescer de 15% a 18%.

Além do crescimento da receita, empresas que mudaram para uma venda baseada em software presenciaram outros benefícios. Mais de oito em 10 impulsionaram a diversidade de hardware com recursos de software (86%), implementaram melhorias remotas de recursos (84%) e melhoraram a experiência do cliente (84%). As empresas também relataram que possuem uma estratégia de flexibilidade que lhes permite adaptar-se à mudança do mercado (79%), controlar melhor a proteção contra cópia (76%) e ser mais competitivas no mercado (73%).

Essas mudanças também estão causando um impacto positivo para funcionários. A maioria das empresas realizou um novo treinamento com seus funcionários (64%) e contratou novos (58%), com três em cinco (61%) também revelando que tiveram ou que pretendiam redistribuir funcionários entre diferentes funções.

Com as empresas começando a ver o potencial da Internet das Coisas (IoT, na sigla em inglês), os modelos de negócios baseados em software estão gerando vantagens comerciais. Cerca de nove em cada 10 entrevistados (88%) acreditam que a IoT está impulsionando o crescimento do setor e que a própria IoT é uma chance de mudar o modelo de negócios da sua empresa (85%). Habilitar melhorias automatizadas (61%), suporte remoto (57%), coletar análises de uso (54%) e reunir mais informações de clientes e de maior qualidade (53%) são os principais benefícios que as empresas percebem com a habilitação de IoT.

O vice-presidente Sênior de Monetização de Software na Gemalto, Shlomo Weiss, comenta que as empresas que adotam modelos de receita baseados em software terão três vantagens principais: relacionamentos de longo prazo com seus clientes, fluxos de receita previsíveis e uma clara vantagem competitiva. “Isso envolve desde obter informações sobre uso de produtos a estruturas de pagamento por uso, além de penetração em novos mercados”, relata.

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!