Confiança da indústria sobe 1,3 ponto em dezembro ante novembro, revela FGV – Jornal do Comércio

A confiança da indústria, medida pela Fundação Getulio Vargas (FGV), avançou 1,3 ponto em dezembro ante novembro, atingindo 99,6 pontos. Esse é o maior nível do indicador desde janeiro de 2014 (100,1 pontos), segundo a instituição. A confiança da indústria também termina o ano 14,9 pontos acima do patamar de 2016.

O Índice de Expectativas (IE) ultrapassou a marca dos 100 pontos, que caracteriza o limite entre pessimismo e otimismo dos empresários ao subir 1,4 ponto em dezembro, para 100,8 pontos. De acordo com a FGV, esse é o maior nível do índice desde junho de 2013 (105,1 pontos).

A maior contribuição para esse avanço é do indicador de expectativas com a evolução dos negócios nos seis meses seguintes, que subiu 5,4 pontos, para 103,1 pontos. A proporção de empresas que prevê melhora nos negócios subiu de 42,7% para 45,7% entre novembro e dezembro ao mesmo tempo que houve redução da parcela das que projetam piora nos negócios, de 14,8% para 9%.

O Índice de Situação Atual (ISA) também teve alta, de 1,3 ponto, mas ainda ficou abaixo da marca de 100 pontos, em 98,5 pontos, que é um recorde desde fevereiro de 2014 (99,5 pontos). A melhora na percepção sobre os negócios subiu 3,4 pontos, para 95,2 pontos – o maior desde abril de 2014 (98 pontos). A parcela de empresas que considera a situação atual boa ainda caiu, de 15,8% para 14,8%, mas em menor proporção que a fatia de empresários que caracteriza o momento como ruim (25,2% para 20,2%).

A coordenadora da Sondagem da Indústria, Tabi Thuler Santos, avalia que a indústria acredita que a melhora no ambiente de negócios deve se manter em trajetória favorável nos próximos meses. “Ao passar de 100 pontos, o Índice de Expectativas retrata otimismo quanto ao futuro próximo – pela primeira vez desde setembro de 2013, há prevalência de respostas otimistas na pesquisa, o que reforça a perspectiva do setor de continuidade da recuperação da confiança em 2018”, afirma Tabi.

O Nível de Utilização da Capacidade Instalada (Nuci) também subiu no período, 0,3 ponto porcentual, para 74,5% em dezembro, o maior desde julho deste ano. Na métrica trimestral, o Nuci avançou 0,1 ponto porcentual no quarto trimestre em relação ao trimestre anterior, para 74,3%.

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!