Coreia do Sul considera fechar bolsas de bitcoin no país – Jornal do Comércio

O governo da Coreia do Sul anunciou medidas duras para combater a negociação de criptomoedas e disse estar considerando fechar as bolsas de bitcoin que operam no país. Uma legislação nova está propondo banir o uso de contas anônimas de moedas virtuais a partir de janeiro e evitar que os bancos forneçam serviços para transações não identificadas de criptomoedas nas bolsas de bitcoin.

O governo também alertou que as moedas virtuais podem ser “vulneráveis aos danos de fraude de investimento ou ataques hacker às bolsas”. Na semana passada, a bolsa sul-coreana Youbit suspendeu os negócios e decretou falência após ser hackeada pela segunda vez em oito meses, perdendo uma enorme fatia de suas reservas digitais. Investigadores estão estudando a possibilidade de envolvimento da Coreia do Norte no caso.

A cotação do bitcoin caiu após o anúncio das medidas nesta quinta-feira na Ásia. De acordo com a CoinDesk, principal consultoria do setor, a moeda virtual era cotada a US$ 14.161,79 às 12h34 (de Brasília). Muitos coreanos correram para o bitcoin e outras criptomoedas neste ano, o que ajudou a impulsionar seu valor. Neste mês, a Coreia do Sul chegou a ser apontada como responsável por 1/4 das negociações globais de bitcoin, de acordo com a Coinhills.

O frenesi incomodou as autoridades do país, que levantaram preocupações sobre a especulação e o risco dos investidores perderem dinheiro com as quedas acentuadas da moeda ou com os ataques hacker nas bolsas. O primeiro-ministro da Coreia do Sul, Lee Nak-yon, também alertou que o interesse crescente por criptomoedas pode “levar a um fenômeno seriamente distorcido ou patológico”.

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!