Demanda aérea doméstica cresce em novembro – Jornal do Comércio

A demanda por transporte aéreo doméstico (medida em passageiros-quilômetros pagos transportados, ou RPK) cresceu 5,7% em novembro ante igual período do ano passado, completando a nona alta consecutiva, informou a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). O volume de passageiros transportados pagos em voos domésticos chegou a 7,6 milhões, 5% acima do registrado em novembro de 2016.

Já a oferta de assentos (assentos-quilômetros ofertados, ou ASK) aumentou 3,3% em igual base de comparação, mantendo a tendência de crescimento pelo quinto mês consecutivo. A taxa de ocupação dos voos domésticos alcançou 82,6% em novembro, o maior nível para o mês na série histórica, iniciada em 2000. Em relação a novembro de 2016, houve alta de 2,3%.

No acumulado dos 11 meses de 2017, a demanda aérea avançou 3%, enquanto a oferta se expandiu 1,2%, quando comparadas ao verificado a igual período do ano passado.

A Gol e a Latam permaneceram na liderança no mercado doméstico em novembro, com 36,5% e 32,9%, respectivamente, da demanda mensal. A Azul alcançou participação de 17,0% no período, enquanto a Avianca respondeu por 13,2%.

O transporte doméstico de carga paga e correio alcançou 40,028 mil toneladas em novembro, correspondendo a uma alta de 7,6% ante igual mês de 2016. No acumulado do ano, o indicador registra crescimento de 1,2%.

A demanda internacional das empresas brasileiras subiu 6,3% em novembro na comparação anual, representando a 14º alta consecutiva. Ao mesmo tempo, a oferta cresceu 9,6%, mantendo a tendência de elevação pelo 13º mês seguido. De acordo com a Anac, ambos os indicadores atingiram o maior nível para novembro desde o início da série histórica, em 2000.

Assim, a taxa de aproveitamento dos assentos em voos de empresas brasileiras no mercado internacional atingiu 82,4% no mês, 3,0% abaixo do verificado em novembro de 2016 – a quarta baixa consecutiva, após uma sequência de 14 meses de expansão.

No acumulado de janeiro a setembro de 2017, a demanda neste mercado cresceu 12,2% frente a igual período de 2016, enquanto a oferta aumentou 10,5%.

Com relação à participação do mercado internacional entre as aéreas brasileiras, a Avianca foi o destaque, saltando de um share praticamente nulo até maio de 2017 para 6,1% em novembro. A Latam encerrou o mês com 71,2% de participação, enquanto a Azul obteve 11,9%, e a Gol alcançou a fatia de 10,7% do total.

 

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!