Ibovespa sobe no último pregão do ano e dólar opera na casa de R$ 3,30 – Valor

SÃO PAULO  –  No último pregão de 2017, o Ibovespa segue com volume financeiro reduzido, mas em alta e no caminho para fechar o ano no patamar dos 76 mil pontos. Os destaques positivos ficam com Smiles e Ecorodovias; na outra ponta, no campo negativo, aparece Localiza, após anúncio de fusão entre Locamerica e Unidas.

O movimento positivo das bolsas em Nova York e o déficit primário de R$ 909 milhões do setor público consolidado, melhor do que o esperado pelo mercado, também sustentam o índice.

Às 13h46, o Ibovespa registrava ganhos de 0,40%, aos 76.376 pontos. Entre as altas do Ibovespa, Smiles ON subia 2,53% após anunciar a redução em 0,6% do preço de transferência das passagens padrão e de 1,5% das milhas vendidas à Gol, com validade a partir de 1º de janeiro..

Ecorodovias ON tinha valorização de 2,29%, ao comprar 42% do capital social da Eco101 detidos pela Centaurus e Grant Concessões e Participações por R$ 46,650 milhões. Como a Ecorodovias já possuía 58% do capital da Eco101, ela passa a deter 100% da companhia.

Localiza ON é o destaque de baixa do Ibovespa, com queda de 1,61%, com o anúncio de fusão entre Locamerica e Unidas, que criará uma empresa com 100 mil carros, 234 lojas de locação de veículos, 72 lojas de seminovos e presença nacional.

Hoje também foi divulgada a terceira e última prévia do Ibovespa, com a inclusão de cinco novas ações a partir de janeiro, Magazine Luiza, Fleury, Sanepar, Iguatemi e Via Varejo. A novidade ficou com a manutenção de Marfrig, que havia sido excluída na segunda prévia. Marfrig ON tinha aumento de 1,27%.

Câmbio

O dólar opera em leve queda nesta última sessão de 2017 no Brasil, num dia positivo para o mercado global de moedas.

Apenas seis divisas se depreciam ante o dólar nesta quinta-feira. O real está no meio da tabela em termos de desempenho. De forma geral, a sessão é de poucos negócios, com investidores já à espera de “trades” para 2018.

O que vai definir o preço do dólar no começo do ano é o resultado do julgamento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva – que pode ser declarado impedido de disputar as eleições do ano que vem – e os desdobramentos da votação da reforma da Previdência, prevista para fevereiro.

Até lá, a expectativa é de volatilidade. O cenário externo também terá sua parcela, uma vez que se espera as primeiras sinalizações do novo comando do Federal Reserve (Fed, BC americano), com o início do mandato de Jerome Powell.

Às 13h49, o dólar comercial caía 0,24%, a R$ 3,3036. O dólar avançava 1,63% no ano, o que deixa o real com o terceiro pior desempenho entre as principais moedas.

Juros

Os juros de prazos médios e longos têm leve queda nesta última sessão de 2017 no mercado brasileiro. O movimento vai na direção do que muitos agentes financeiros têm defendido: os prêmios estão muito altos e justificam aplicação nesses trechos da curva.

O intervalo entre 2021 e 2023 é um dos mais citados. Nesse período, a curva de DI embute Selic de dois dígitos, o que para departamentos macroeconômicos e até mesmo tesourarias é pouco provável.

O elevado prêmio decorre das incertezas fiscais e políticas, que no cenário-base de boa parte do mercado podem ser reduzidas à medida que se confirmar a expectativa de fortalecimento de um candidato de centro-direita na campanha eleitoral de 2018.

De toda forma, 2017 foi um ano de importantes retornos para quem aplicou em juros.

Às 13h50, o DI janeiro/2019 operava estável, a 6,880% ao ano. O DI janeiro/2020 cedia 4 pontos-base, para 8,070%.

O DI janeiro/2021 recuava 6 pontos-base, a 9,040%. E o DI janeiro/2023 caía 7 pontos-base, a 9,990%.

Fonte Oficial: Valor.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!