Hacks, Golpes e Roubos: Os Desastres nas Criptomoedas em 2017 – Portal do Bitcoin

2017 foi um ano excelente para as criptomoedas, porém coisas ruins sempre acontecem. Aqui serão listados alguns roubos, hacks e scams que a comunidade sofreu durante este ano.

Hack do ICO da CoinDash

A startup de pagamento CoinDash lançou uma oferta inicial de moeda (ICO) no início deste ano, mas seu endereço ethereum foi comprometido.

A startup arrecadou US$ 7,3 milhões antes que um hacker mudasse o endereço, fazendo com que as doações fossem para outra carteira. A empresa pausou o ICO, mas prometeu enviar os tokens originais, CDT, para aqueles que tentaram doar.

Enquanto a empresa afirmou que as doações enviadas depois de terem divulgado sua declaração não seriam honradas, alguns investidores continuaram a mostrar apoio ao doar para o endereço dos hackers, aumentando inadvertidamente o montante de fundos roubados de US$ 7 milhões para US $ 10 milhões no momento.

Violação da Carteira Parity

Foi um ano difícil para a carteira de criptomoedas Paraity, que foi citada duas vezes nesta lista.

As questões começaram em julho, quando a startup descobriu uma vulnerabilidade na versão 1.5 do seu software da carteira, resultando em pelo menos 150.000 ethers sendo roubados de contas de usuários.

O bug foi encontrado em suas carteiras de assinatura múltipla, comprometendo as coleta de fundos do ICO de várias empresas. Na época, as ethers valiam cerca de US$ 30 milhões, mas equivalem a US$ 105 milhões no preço atual.

A questão foi considerada “crítica”, com o CTO da empresa, a Gavin Wood, anunciando pelo menos três endereços comprometidos e dizendo que estavam sendo feitos esforços para evitar novas perdas de fundos.

Enigma Project

De volta aos ICOs, as questões não se limitaram a endereços comprometidos.

A startup Enigma viu seu site, listas de discussão e uma conta de administrador em seu canal Slack comprometida quando os fraudadores lançaram uma pré-venda falsa dos token em agosto, fraudando potenciais investidores em mais de 1.500 ethers.

As contas sequestradas prometiam um grande retorno sobre o investimento, e disfarçadas como verdadeiras operadoras do projeto, as que estavam por trás do esforço conseguiram convencer os consumidores desavisados a doar para o site comprometido.

Enquanto a equipe que estava por trás da Enigma conseguiu recuperar o controle das contas da empresa, a carteira ether utilizada pelo hacker foi esvaziada e os fundos não foram recuperados.

Congelamento da Carteira Parity

Talvez o maior incidente de segurança do ano. Em novembro, um usuário da Parity encontrou acidentalmente um erro no código do software, congelando mais de US$ 275 milhões em ether no segundo grande incidente da carteira em 2017.

Nas atualizações subsequentes, os desenvolvedores tentaram restaurar os fundos, embora agora acredite que isso exigiria que todos os usuários de ethereum atualizem seus softwares.

Hack da Tether

Em outro incidente notável por suas controvérsias não resolvidas, mais de US$ 30 milhões foram roubados da criptomoeda.

Na época, Tether afirmou que cerca de US $ 31 milhões de tokens foram retirados de seu tesouro virtual e enviados para um endereço de bitcoin desconhecido.

Não é um número significativo na economia de criptomoedas, mas o hack foi mais relevante pois efetivamente renovou as críticas de longo prazo da empresa Tether, levando ao escrutínio na forma de postagens de blog e exposições na mídia duvidando de sua idoneidade.

Bitcoin Gold

Pouco depois do lançamento do fork do bitcoin gold alguns usuários de bitcoins tiveram suas carteiras de criptomoedas drenadas depois de usar um serviço aparentemente endossado pela equipe de desenvolvimento do projeto.

Comercializado como uma forma de autenticar se um usuário era elegível para receber os bitcoins gold, os operadores do site roubaram mais de US$ 3 milhões em bitcoin, bitcoin gold, ethereum e litecoin.

 

Violação da NiceHash

NiceHash, um conhecido mercado para comercializar poder de mineração, relatou ser pirateado no início de dezembro, confirmando mais tarde que cerca de 4.700 bitcoins foram roubados. Na época, isso valia aproximadamente US$ 78 milhões.

Mais tarde, revelou-se que o computador de um funcionário estava comprometido, permitindo ao perpetrador ter acesso aos sistemas do mercado e remover o bitcoin das contas da empresa.

O CEO da NiceHash, Marko Kobal, anunciou mais tarde que sua equipe estava tentando determinar como o hack ocorreu, mas que levaria tempo para estabelecer o que aconteceu.

Leia Também: Os Maiores Roubos de Criptomoedas

 

BitcoinTrade

A primeira plataforma Brasileira que você pode comprar com segurança utilizando o seu Cartão de Crédito como forma de pagamento. Eles aceitam Visa e Mastercard. A BitcoinTrade ainda conta com certificação de segurança PCI Compliance, a única no Brasil. Acesse aqui: https://www.bitcointrade.com.br

Fonte Oficial: Portal do Bitcoin.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!