Brasil é mais vulnerável no quesito político de economias emergentes, diz IIF – Jornal do Comércio

O Instituto de Finanças Internacionais (IIF, na sigla em inglês) divulgou uma edição atualizada de seu “mapa de vulnerabilidades das economias emergentes”. Na análise da instituição, o Brasil, em ano eleitoral, e a Ucrânia aparecem à frente no “índice de vulnerabilidade política”, ambos com 0,83. Em seguida vem a Argentina, com 0,72, e depois a África do Sul, com 0,61.

O Brasil ainda se sai mal em outros quesitos traçados pelo IIF, como o da balança fiscal em relação ao Produto Interno Bruto (PIB) previsto para o ano de 2017, o endividamento bruto do governo em relação ao PIB e a competitividade global.

O IIF informa que mede as vulnerabilidades em três dimensões: a dependência do financiamento externo; as vulnerabilidades domésticas e do setor financeiro; e a credibilidade política e a estabilidade política que afetam o escopo de um ajuste macroeconômico.

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!