Dólar fecha no menor patamar em quase um mês com otimismo global – Jornal do Comércio

O maior apetite ao risco desencadeado por uma série de indicadores econômicos positivos levou o dólar a cair frente a várias moedas, incluindo o real. O otimismo em relação ao crescimento da economia mundial, aliado a notícias favoráveis também no campo doméstico, fez a moeda americana à vista fechar na casa dos R$ 3,23, no menor patamar em quase um mês, depois de ter atingido os R$ 3,22 no intraday. Foi a terceira queda seguida da moeda, que acumula perda de 2,45% neste início de 2018.

O dólar à vista fechou em baixa de 0,25%, a R$ 3,2342, no menor valor desde 6 de dezembro de 2017 (R$ 3,2339). O giro foi de US$ 1,085 bilhão. Na mínima, atingiu R$ 3,2226 (-0,61%) e, na máxima, R$ 3,2428 (+0,01%).

“Tivemos várias notícias positivas no âmbito doméstico nos últimos dias, como o não rebaixamento do Brasil pela S&P e a balança comercial recorde em 2017, o que fez o mercado iniciar o ano com o pé direito”, comentou Alessandro Faganello, operador da Advanced Corretora. “Isso, aliado aos PMIs (índices de gerentes de compras) fortes de vários países, contribuiu para a queda do dólar frente ao real”, disse, ressaltando, porém, que os volumes negociados no mercado de câmbio neste início de ano são mais fracos.

Completou o cenário favorável a alta do petróleo no mercado internacional. Os protestos no Irã e o aumento da demanda pela commodity com o frio intenso nos Estados Unidos e Europa, entre outros fatores, mantêm os preços do petróleo em níveis elevados.

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!