Fenabrave prevê alta de 12% nas vendas de carros – Jornal do Comércio

Apesar das eleições e da Copa da Rússia, a venda de carros de passeio e veículos comerciais leves deve crescer 11,9% em 2018. Essa é a previsão da Fenabrave, entidade que reúne as distribuidoras de veículos. No segmento de veículos pesados, a associação prevê alta de 8,6% neste ano sobre 2017.

“Dentro das previsões de mercado internacional, não vemos nada que possa atrapalhar a indústria em 2018, e o índice de confiança do consumidor brasileiro vem subindo”, diz a economista Tereza Fernandez, da consultoria MB Associados, que projeta uma alta de 3,1% no PIB (Produto Interno Bruto) neste ano.

Ao todo, a Fenabrave espera que 2,5 milhões de unidades de veículos leves e pesados sejam emplacadas em 2018. A venda de automóveis cresceu 9,2% em 2017 na comparação com 2016. Foram comercializadas 2,24 milhões de unidades no ano passado. Os dados foram divulgados nesta quinta-feira pela Fenabrave.

O número inclui carros de passeio, comerciais leves, ônibus e caminhões. A retomada ocorre após quatro anos de queda nos emplacamentos, mas mostra o quanto o mercado encolheu. O volume do ano passado é pouco inferior aos licenciamentos de 2007.

O acesso ao crédito continua a ser um problema, mas a Fenabrave vê evolução nas concessões de financiamentos.

“A qualidade da carteira de crédito está melhorando. A cada 10 fichas submetidas aos bancos, cerca de quatro estão sendo aprovadas”, diz Alarico Assumpção, presidente da Fenabrave.

No segmento de caminhões, a safra agrícola impulsionou a renovação da frota. “Veículos extrapesados chegaram a cerca de 1 milhão de quilômetros rodados em 2017, o que estimulou a troca”, diz Sérgio Zonta, vice-presidente da Fenabrave.

A norte-americana General Motors, que atua no mercado brasileiro com os veículos da marca Chevrolet, foi a montadora que vendeu o maior número de carros no Brasil em 2017, pelo segundo ano consecutivo. Foram 394 mil unidades vendidas no ano passado, 13,9% a mais que em 2016.

A participação de mercado da empresa também cresceu, de 17,4% para 18,1%. O carro que mais contribuiu para tais avanços da GM foi o Onix, líder de vendas no Brasil desde 2015, quando desbancou o Palio, da Fiat. Os emplacamentos do modelo em 2017 somaram 188,6 mil unidades, expansão de 23% na comparação com o resultado alcançado no ano anterior.

A Volkswagen, por sua vez, foi a marca que mais avançou no mercado brasileiro em 2017. A montadora alemã, que foi a que mais sofreu com a queda nas vendas durante a crise econômica, começa a recuperar parte do espaço que perdeu ao longo da recessão. As vendas de veículos leves da empresa cresceram 19% no ano passado, com o emplacamento de 272 mil unidades.

Com isso, a alemã viu a sua participação de mercado subir de 11,6% em 2016 para 12,5% em 2017, depois de quatro anos em que a montadora só perdeu espaço – em 2013 chegou a ser de 18,6%. Apesar da melhora, a Volkswagen não conseguiu subir no ranking de marcas e permaneceu na terceira posição. Também não houve alteração na vice-liderança, que segue com a Fiat, que ficou com 13,4% de participação de mercado.

Houve mudança na quarta posição. A Ford recuperou o lugar perdido para a sul-coreana Hyundai em 2016. Com a venda de 206,7 mil unidades, a Ford ficou com 9,5% de participação, enquanto a Hyundai, agora na quinta posição, somou 201,9 mil emplacamentos, ou 9,3% do mercado.

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!