GM manteve liderança em 2017 no mercado brasileiro – Jornal do Comércio

A norte-americana GM, que atua no mercado brasileiro com os veículos da marca Chevrolet, foi a montadora que vendeu o maior número de carros no Brasil em 2017, pelo segundo ano consecutivo, mostra balanço divulgado nesta quinta-feira (4) e pela Fenabrave, associação que representa as concessionárias. Foram 394 mil unidades vendidas no ano passado, 13,9% a mais que em 2016.

A participação de mercado da empresa também cresceu, de 17,4% para 18,1%. O carro que mais contribuiu para tais avanços da GM foi o Onix, líder de vendas no Brasil desde 2015, quando desbancou o Palio, da Fiat. Os emplacamentos do modelo em 2017 somaram 188,6 mil unidades, expansão de 23% na comparação com o resultado alcançado no ano anterior.

A Volkswagen, por sua vez, foi a marca que mais avançou no mercado brasileiro em 2017. A montadora alemã, que foi a que mais sofreu com a queda nas vendas durante a crise econômica, começa a recuperar parte do espaço que perdeu ao longo da recessão. As vendas de veículos leves da empresa cresceram 19% no ano passado, com o emplacamento de 272 mil unidades.

Com isso, a alemã viu a sua participação de mercado subir de 11,6% em 2016 para 12,5% em 2017, depois de quatro anos em que a montadora só perdeu espaço – em 2013 chegou a ser de 18,6%. Apesar da melhora, a Volkswagen não conseguiu subir no ranking de marcas e permaneceu na terceira posição. Também não houve alteração na vice-liderança, que segue com a Fiat, que ficou com 13,4% de participação de mercado.

Houve mudança, no entanto, na quarta posição. A Ford recuperou o lugar perdido para a sul-coreana Hyundai em 2016, que à época se destacou com a venda dos modelos da linha HB20. Com a venda de 206,7 mil unidades, a Ford ficou com 9,5% de participação, enquanto a Hyundai, agora na quinta posição, somou 201,9 mil emplacamentos, ou 9,3% do mercado.

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!