Taxas futuras de juros avançam com dólar e alta na produção industrial – Jornal do Comércio

Os juros futuros operam em alta nesta sexta-feira (5) sustentados pelo dólar e o resultado positivo da produção industrial brasileira, segundo um operador de renda fixa.

No câmbio, a moeda norte-americana avança desde cedo ante o real, em linha com o viés positivo registrado no exterior ante as divisas principais e algumas moedas ligadas a commodities, como o dólar australiano, o peso chileno e o rand sul africano, entre outras.

Os investidores globais e no Brasil estão à espera do relatório de empregos (payroll) de dezembro dos Estados Unidos (11h30, no horário de Brasília), após o forte dado de criação de empregos no setor privado do País. Na quinta-feira, 4, a consultoria ADP informou a abertura de 250 mil novos postos de trabalho nos EUA, enquanto analistas consultados pelo Wall Street Journal esperavam 195 mil novas vagas no mês passado. O indicador do setor privado é considerado uma prévia do payroll.

O mercado também está atento ao desajuste fiscal e à estratégia do governo em relação à regra de ouro – que serve para impedir que o presidente Michel Temer seja responsabilizado criminalmente. Na quinta, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou ao Broadcast, serviço de notícias em tempo real do Grupo Estado, que o governo precisa apresentar a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que flexibiliza a chamada regra de ouro.

“O governo precisa apresentar e passar na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) e depois na comissão especial”, disse Maia. Segundo ele, no ano de 2019 o risco de descumprimento “parece” de 100%.

Além disso, a reforma ministerial segue no radar, após a saída de quatro ministros em menos de um mês. Temer terá de mudar pelo menos mais 13 ministros até a primeira semana de abril, quando termina o prazo dado pela Justiça Eleitoral para candidatos se afastarem de seus cargos públicos a fim de concorrerem nas eleições gerais deste ano. Desse total, dez já disseram que pretendem se candidatar e três afirmam que vão decidir até o prazo final.

Às 9h54min desta sexta, o DI para janeiro de 2019 exibia 6,785%, na máxima, de 6,770% no ajuste de quinta. O DI para janeiro de 2020 estava em 7,96%, de 7,93%, enquanto o vencimento para janeiro de 2021 marcava 8,89%, de 8,83% no ajuste anterior. Já o DI para janeiro de 2023 exibia 9,80%, de 9,76% no ajuste anterior. No câmbio, o dólar à vista subia 0,31% neste horário, aos R$ 3,2442. O dólar futuro de fevereiro avançava a R$ 3,2540 (+0,26%).

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!