Valor total de fusões e aquisições no Brasil sobe 4,4% em 2017,diz TTR – Valor

SÃO PAULO  –  As operações de fusão e aquisição ocorridas no Brasil somaram R$ 194,930 bilhões em 2017, um aumento de 4,40% em relação ao ano anterior. De janeiro a dezembro, foram 1.096 transações, uma alta de 5,69%. Os dados constam no relatório anual Transactional Track Record (TTR), elaborado em parceria com a LexisNexis e TozziniFreire Advogados.

No quarto trimestre, foram registradas 274 operações, queda de 7,74% ante igual período de 2016. Em valor, essas operações somaram R$ 49,972 bilhões, queda de 8,23%.

O destaque do trimestre, segundo a TTR, foi a conclusão da aquisição da participação de 50% que a Vigor Alimentos detinha na Itambé Alimentos pela Cooperativa Central dos Produtores Rurais de Minas Gerais (CCPR), por R$ 700 milhões.

O setor imobiliário foi o único que registrou alta no número de transações. Com 98 operações de fusões e aquisições em 2017, o crescimento foi de 48%. O segmento de tecnologia registrou queda de 13% no ano, mas ainda foi o responsável pelo maior número de transações, com 186 operações.

O setor financeiro e de seguros teve um recuo de 16% na mesma base de comparação, com 112 negócios, e de distribuição e varejo uma baixa de 6%, com 103 operações no acumulado do ano.

As operações de fusões e aquisições com private equity realizadas em 2017 no Brasil foi de R$ 20 bilhões, alta de 44% ante 2016, apesar de queda de 8% no total registrado, para 90 ante 98. O setor de distribuição e varejo foi o que mais utilizou private equity em suas transações, que foram 13 em 2017, queda de 24% na compração com o ano anterior.

As operações com capital de risco (venture capital), registraram crescimento em 2017. Das 181 transações, 94 revelaram valores que somaram R$ 3,07 bilhões, expansão de 54%.

Os Estados Unidos responderam pelo maior número de operações de fusão e aquisição, private equity e venture capital no Brasil. O país foi responsável por 87 deles, no total de R$ 19,087 bilhões no ano passado. A segunda posição ficou com a França, que acumulou 21 transações e R$ 5,258 bilhões em 2017. A China, porém, é a segunda ao considerar o valor total, de R$ 12,201 bilhões em 12 transações.

Ranking

No ranking de assessores financeiros por valor de transações, o líder em 2017 é o Itaú BBA (R$ 22,574 bilhões), seguido por BTG Pactual (R$ 21,026 bilhões), Bradesco BBI (R$ 19,719 bilhões) e Santander (R$ 17,736 bilhões).

Já o líder entre os assessores jurídicos é o escritório Mattos Filho, Veiga Filho, Marrey Jr. e Quiroga Advogados (R$ 43,116 bilhões), seguido por Pinheiro Neto Advogados (R$ 24,486 bilhões), Barbosa, Müssnich, Aragão (R$ 21,317 bilhões) e Vieira Rezende Advogados (R$ 19,458 bilhões).

Fonte Oficial: Valor.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!