A pedido de acionista, Oi convoca assembleia para tratar de plano – Valor

SÃO PAULO  –  A Oi publicou nesta segunda-feira uma convocação de assembleia geral de acionistas para o dia 7 de fevereiro a pedido da Bratel, veículo de investimento da Pharol (ex-Portugal Telecom) e dona de 22,24% do capital social da Oi. A reunião irá tratar de temas aprovados pela assembleia de credores, ocorrida nos dias 19 e 20 de dezembro, que, segundo a Bratel, violam o estatuto social da companhia, uma vez que são temas de competência exclusiva dos acionistas.

Na pauta está prevista a deliberação de uma proposta de ação de responsabilidade civil contra o presidente da empresa, Eurico Teles, e o diretor-financeiro Carlos Brandão, alegando que eles extrapolaram suas competências durante o processo de recuperação judicial. A Bratel afirma que ambos apresentaram o plano de recuperação judicial diretamente à Justiça, mas os termos e condições do plano dependeriam de aprovação dos acionistas em assembleia geral para terem validade.

A Bratel também quer tratar da criação de um conselho de administração transitório e a alteração da forma de eleição dos conselheiros, prevista no plano de recuperação judicial. Pela proposta, o conselho será formado por nove membros, que já foram indicados. Os atuais integrantes que não foram listados terão suas funções imediatamente suspensas. No entanto, de acordo com o estatuto social da companhia e a Lei das S.A., compete à assembleia de acionistas a eleição ou destituição de administradores.

O plano de recuperação também retira do conselho de administração o direito de substituir e eleger diretores. Durante o período de um ano, os membros da diretoria de transição serão mantidos nos mesmos cargos e funções que ocupam atualmente, sendo os únicos responsáveis pela execução e implementação do plano. Após o período de transição, o diretor-presidente e o diretor de finanças e relações com investidores deverão ser reconduzidos aos cargos que exerciam anteriormente, dos quais não poderão ser destituídos até o encerramento da recuperação judicial.

Outra questão que a Bratel quer discutir é o aumento de capital aprovado na assembleia de credores. A operação acontecerá em etapas, com a conversão de parte da dívida, que poderá superar o valor de R$ 17 bilhões, a emissão de bônus de subscrição como vantagem adicional à emissão de novas ações ordinárias, e um aumento de capital de R$ 4 bilhões. Segundo a Bratel, a proposta de capitalização supera o limite de capital autorizado da companhia, que, atualmente, é R$ 12,6 bilhões.

A Bratel fez um pedido pela convocação da assembleia de acionistas no dia 29 de dezembro. A Oi submeteu o pedido ao Juízo que trata da recuperação da companhia no dia seguinte, que decidiria sobre a legalidade e conveniência da convocação.

Fonte Oficial: Valor.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!