Varejista H&M retira propaganda após acusações de racismo – Jornal do Comércio

A varejista de moda H&M (Hennes et Mauritz) pediu desculpas anunciou a retirada de uma propaganda acusada de racismo nas redes sociais. A foto publicitária mostra um garoto negro com um casaco em que se lê: “Coolest monkey in the jungle” (em português, “O macaco mais legal da floresta”).

Neste domingo (7), a blogueira de moda britânica Stephanie Yeboah reagiu ao post com indignação no Twitter e seu post foi replicado por mais de 16 mil pessoas. Como resposta, a página da empresa na África do Sul respondeu aos comentários com um pedido de desculpas por “terem ofendido clientes”.

“A imagem já foi removida de todos os canais on-line, e o produto não será mais vendido na África do Sul”, diz o comunicado. Outras empresas já viveram episódios semelhantes. Em 2014, a marca Zara retirou de vendas uma camiseta infantil com listras e uma estrela amarela bordada -roupa acusada de se parecer com os uniformes usados por judeus em campos de concentração nazistas.

Em outubro do ano passado, a Dove, de produtos de higiene, também teve que se desculpar por uma publicidade acusada de racismo. Nela, uma mulher negra tira uma camiseta para revelar uma mulher branca, que remove sua camiseta e revela uma terceira mulher, asiática.

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!