Ação da BR Pharma registra maior queda da B3 após sair de leilão – Valor

SÃO PAULO  –  (Atualizada às 13h05) As ações da Brasil Pharma entraram em leilão, nesta quarta-feira, por volta das 12h35, quando apuravam queda de 9,35%. Em cerca de 15 minutos saíram de leilão com desvalorização de 12,60%, cotada a R$ 3,24, na maior queda da B3 naquele momento.

Com dívidas de cerca de R$ 1 bilhão, segundo dados de setembro, a empresa informou hoje a entrada de pedido de recuperação judicial. A bolsa suspendeu pela manhã as negociações com o papel para aguardar mais informações sobre o caso.

Às 12h47, haviam 214 negócios com o papel e movimento de 439,6 mil — na semana anterior ao anúncio da recuperação judicial, esse valor médio diário não superava R$ 50 mil.

O processo pedido de recuperação judicial inclui as nove sociedades pertencentes ao grupo, que incluem as redes Big Ben, Farmais, Drogaria Rosário e Farmácia Sant’ana.

Conforme antecipado pelo Valor , na segunda-feira (8), o controlador da empresa, Paulo Remy, estava pressionando o BTG Pactual, principal credor, por novos recursos, mas as conversas não tinham avançado e a recuperação judicial começou a ser traçada.

A BR Pharma destacou no documento, enviado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), que vem realizando reestruturação societária e econômica nos últimos meses, com aprimoramento de gestão e readequação da estrutura de capital de giro, para preservar e revitalizar as operações.

De acordo com a empresa, a recuperação judicial é a medida mais adequada para continuar solucionar a crise financeira, manter a normalidade operacional, e resguardar o valor e preservar o caixa e capital de giro.

Fonte Oficial: Valor.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!