Brasil Pharma entra com pedido de recuperação judicial – Jornal do Comércio

A Brasil Pharma ajuizou pedido de recuperação judicial em São Paulo. O pedido envolve a companhia em conjunto com nove sociedades do Grupo BRPH. A empresa vinha num processo de reestruturação societária e econômica, mas não encontrou no âmbito extrajudicial solução, como explica em fato relevante.

“Apesar desses esforços e dos avanços alcançados, a administração da Companhia ponderou que não foi possível encontrar, no âmbito extrajudicial, uma solução sustentável para a situação financeira do Grupo BRPH, concluindo que o ajuizamento da Recuperação Judicial Grupo BRPH é a medida mais adequada, neste momento, para (i) continuar avançando na recuperação e solução da crise financeira do Grupo BRPH, de forma organizada e com prazos e procedimentos preestabelecidos; (ii) manter a normalidade operacional da Companhia e suas subsidiárias, controladas e demais empresas do grupo; e (iii) resguardar o valor e preservar o caixa e capital de giro da Companhia e de suas subsidiárias, controladas e demais empresas do Grupo BRPH.”

Ainda na continuidade do processo de reestruturação das dívidas e obrigações, o Grupo BRPH afirma que negociará com seus credores “uma solução ampla e efetiva com o intuito de solucionar a crise financeira”, e que durante a recuperação judicial concentrará esforços para preservar suas atividades comerciais e operacionais e “assim cumprir com seus compromissos e obrigações.”

A oferta pública de aquisição de ações (OPA) em curso, para saída da companhia do segmento especial Novo Mercado da B3, segue inalterada até o momento, ainda de acordo com o fato relevante divulgado na madrugada desta quarta-feira, 10. A ofertante na OPA é a controladora Stigma, e o valor por ação decorrente de laudo de avaliação realizado pelo Banco Modal, como informado em dezembro, é de R$ 0,14. “Em entendimentos com a Stigma II, a Companhia foi informada que eventuais impactos da Recuperação Judicial Grupo BRPH sobre a OPA estão sendo analisados e serão, caso existam, prontamente comunicados ao mercado e aos acionistas”.

Na noite desta terça-feira (9) o presidente do conselho de administração da Brasil Pharma, Roberto Bocchino Ferrari, renunciou e a empresa informou que o cargo ficará temporariamente vago, devido ao impedimento de o atual vice-presidente do colegiado, Paulo Remy Gillet Neto, assumir, já que também acumula o cargo de diretor presidente.

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!