Economia pode prosseguir com retomada, afirma Planejamento após IPCA – Valor

BRASÍLIA  –  Com inflação sob controle, o país pode dar continuidade ao processo de recuperação do crescimento econômico em curso gerando empregos e aumentando a renda das famílias. A afirmação é do Ministério do Planejamento, que divulgou nota comentando a inflação de 2,95% registrada no ano passado.

“O ano de 2017 terminou com resultados favoráveis no campo econômico. Saímos da maior recessão da nossa história, com 2 anos seguidos de queda no PIB, voltamos a gerar empregos e a inflação, como divulgada hoje pelo IBGE, mostrou recuo de maneira significativa”, diz o texto.

O ministério lembra que, para 2018, os analistas de mercado, de acordo com boletim semanal Focus, do Banco Central, projetam que a inflação ficará abaixo de 4%, inferior ao centro da meta.

A nota destaca que o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de 2017 é a menor variação desde 1998 e a segunda menor inflação em toda a história de divulgação do IPCA, iniciada em 1980. A taxa de inflação ficou abaixo do centro da meta de 4,5%, o que não ocorria desde 2009, e, pela primeira vez, abaixo do limite inferior de tolerância de 3%.

O resultado positivo é devido a diversos fatores, entre eles a desaceleração nos preços livres, de 6,54%, em 2016, para 1,35%, em 2017, com recuo na inflação de serviços de 6,47%, em 2016, para 4,52%, em 2017, enquanto a variação dos bens apresentou deflação de 1,42%, ante alta de 6,63% em 2016.

A nota também destaca a deflação do grupo de alimentos e bebidas, com variação negativa de 1,87% em 2017, ante alta de 8,61% em 2016, “elevando o poder de compra do orçamento das famílias brasileiras”. Desde 2010, a inflação dos alimentos e bebidas ficava acima do teto da meta de inflação, com taxa média superior a 9%.

Nos anos anteriores, diz a nota, havia uma forte dispersão dos grupos que compõem a inflação. Ou seja, muitos apresentavam variações de preços superiores ao centro ou até mesmo ao limite superior da meta de inflação. No entanto, em 2017, a inflação de 2/3 dos grupos foi inferior ao centro da meta, com dois grupos apresentando deflação: Alimentação e Bebidas e Artigos de residência (-1,49%, ante 3,41%).

Fonte Oficial: Valor.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!