IPCA fecha 2017 com alta de 2,95%, a menor taxa em quase 20 anos – Valor

RIO  –  Num ano de comportamento atipicamente benigno dos preços dos alimentos, a inflação oficial brasileira, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), foi de 2,95% em 2017, abaixo dos 6,29% registrados no ano anterior, informou na manhã desta quarta-feira o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Trata-se da menor alta de preços em quase 20 anos, desde 1998 (1,65%).

A inflação de 2017 ficou acima da média de 2,80% estimada por 25 instituições financeiras e consultorias consultados pelo Valor Data.

Em dezembro, o IPCA acelerou para 0,44%, de 0,28% em novembro. Nesse caso, a taxa ficou bastante acima da média de 0,31% estimada pelo mercado. O intervalo das estimativas ia de 0,25% a 0,36% para o mês.

Com o resultado, a inflação ficou abaixo do piso da meta do Banco Central, de 3% em 2017 — o centro da meta é de 4,5%, com margem de 1,5 ponto percentual, para mais ou para menos. É a quinta vez em que a meta é descumprida desde que o sistema de metas de inflação foi criado, em 1999. Pela primeira vez, foi descumprida para baixo.

O descumprimento num determinado ano obriga o presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, a escrever uma carta ao ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, explicando os motivos de o sistema de metas de inflação ter sido descumprido e apontando as medidas adotadas para fazer a variação de preços convergir novamente para o centro da meta.

Em dezembro, a alta do IPCA foi influenciada principalmente pela aceleração na taxa dos grupos Alimentação e bebidas (de -0,38% em novembro para 0,54% em dezembro) e Transportes (de 0,52% para 1,23%).

O IPCA mede a inflação para as famílias com rendimentos mensais entre um e 40 salários mínimos, que vivem nas regiões metropolitanas de São Paulo, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, Porto Alegre, Curitiba, Recife, Salvador, Fortaleza, Vitória, Belém, Brasília, e nos municípios de Goiânia e Campo Grande.

10/01/2018 09:13:37

Fonte Oficial: Valor.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!