Petróleo sobe e WTI atinge o maior nível em três anos após relatório do DoE – Jornal do Comércio

Os contratos futuros de petróleo fecharam em forte alta nesta terça-feira (9), influenciados pelo relatório mensal do Departamento de Energia (DoE, na sigla em inglês) dos Estados Unidos.

Na New York Mercantile Exchange (Nymex), o petróleo WTI para fevereiro fechou em alta de 1,99%, a US$ 62,96 por barril. Já na Intercontinental Exchange (ICE), o barril do petróleo tipo Brent para março avançou 1,53%, a US$ 68,82. Com o resultado, o WTI atingiu o maior nível em três anos.

Os preços do petróleo aceleraram os ganhos nesta tarde e atingiram o patamar mais alto desde o fim de 2014, após o DoE informar, em seu relatório mensal de energia, que o consumo de petróleo e de outros combustíveis líquidos aumentará 2,4%, ou 470 mil barris por dia, neste ano e quase 2,0% no próximo ano, apesar da avaliação de que os altos preços do petróleo poderiam reduzir a demanda potencialmente. O documento também vê uma aceleração na produção dos EUA para 10,3 milhões de barris por dia em média neste ano. Além disso, o DoE elevou as estimativas para os preços do WTI para US$ 55,33 por barril, um aumento de 4,8% em relação à previsão de dezembro.

A expectativa de que o DoE irá informar a oitava queda consecutiva no volume estocado de óleo bruto no relatório semanal a ser divulgado nesta quarta-feira (10), também apoiou os preços da commodity. Analistas consultados pela S&P Global Platts estimam que os estoques de petróleo diminuíram 3,5 milhões de barris na semana passada.

Investidores também esperam para ver se o presidente americano, Donald Trump, irá ampliar o alívio de sanções contra o Irã nesta quarta-feira, como parte do acordo de 2015 para conter o programa nuclear iraniano. Novas sanções econômicas poderiam limitar as exportações de petróleo de Teerã. “O potencial de novas sanções, que podem restringir o fornecimento de petróleo, dá suporte adicional aos preços”, disse o analista de pesquisa da corretora Sucden Financial, Geordie Wilkes.

A decisão de Trump vem na esteira de protestos contra o governo do Irã nas últimas duas semanas, que também aumentaram os preços do óleo. No entanto, Wilkes afirmou que espera que o mercado se consolide um pouco a curto prazo enquanto os investidores reavaliam alguns dos fatores recentes que levantaram os preços, incluindo a situação no Irã.

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!