Dólar à vista fecha em baixa, no patamar de R$ 3,21, em linha com exterior – Jornal do Comércio

O ambiente de maior apetite ao risco que tem marcado este início de ano teve novo impulso nesta quinta-feira (11). O dólar se desvalorizou frente a outras moedas fortes e também às de países emergentes e ligados a commodities. A alta do petróleo no mercado internacional contribuiu para este cenário. Com isso, a divisa americana caiu ante o real pelo segundo dia seguido, para o patamar de R$ 3,21, o menor em 2018 e o mais baixo desde 28 de novembro de 2017.

O dólar firmou-se em baixa após a divulgação do índice de preços ao produtor (PPI, na sigla em inglês) americano de dezembro (-0,1%). O dado contrariou as expectativas dos analistas ouvidos pelo Wall Street Journal, que previam alta de 0,2% no período. O núcleo do indicador também recuou 0,1%, ficando abaixo da previsão de alta de 0,2%. Esta foi a primeira vez desde agosto de 2016 que o PPI registra deflação.

A leitura dos investidores é de que, com a inflação fraca, fica mais difícil o Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos) acelerar a alta dos juros. Na sexta-feira, será divulgado o índice de preços ao consumidor (CPI) americano de dezembro que, se também vier fraco, pode desencadear nova rodada de desvalorização do dólar.

A moeda americana já vinha perdendo valor principalmente ante o euro, depois que o Banco Central Europeu (BCE) divulgou a ata de sua última reunião, realizada em dezembro. O documento mostrou que os dirigentes da autoridade monetária avaliaram que as diretrizes da instituição – que incluem o programa de compra de ativos – podem mudar neste início de ano caso a economia da zona do euro continue em expansão. Como consequência, a moeda europeia foi às máximas e os juros dos bônus europeus apresentaram forte avanço.

O dólar à vista fechou em baixa de 0,61%, a R$ 3,2156, no menor patamar desde 28 de novembro de 2017 (R$ 3,2131). O giro foi de US$ 1,180 bilhão. Na mínima, alcançou R$ 3,2136 (-0,67%) e, na máxima, R$ 3,2372 (+0,06%). No mercado futuro, o dólar para fevereiro terminou em queda de 0,43%, a R$ 3,2235. O volume foi de US$ 16,015 bilhões. Na mínima, chegou a R$ 3,2210 (-0,51%) e, na máxima, R$ 3,2455 (+0,25%).

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!