Indústria gaúcha subiu 1,4% em novembro – Jornal do Comércio

Com alta de 0,2% na produção industrial nacional, oito dos 14 locais pesquisados mostraram taxas positivas na passagem de outubro para novembro de 2017. No Rio Grande do Sul, o aumento ficou em 1,4% no mês. Na comparação com novembro de 2016, no entanto, o desempenho gaúcho mostrou queda de 0,2%, o único recuo entre os locais pesquisados. Os dados são da Pesquisa Industrial Mensal – Produção Física Regional, e foram divulgados nesta quinta-feira (11) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Em novembro, os avanços mais acentuados foram no Espírito Santo (5,8%), Bahia (3,5%), Pernambuco (2,6%) e Minas Gerais (2,4%). Rio Grande do Sul (1,4%), Pará (1,1%), São Paulo (0,7%) e Região Nordeste (0,2%) completaram o conjunto de locais com índices positivos. Já os resultados negativos foram apurados no Amazonas (-3,7%), Rio de Janeiro (-2,9%), Ceará (-2,3%), Paraná (-0,9%), Goiás (-0,6%) e Santa Catarina (-0,1%).

Na comparação com igual mês de 2016, a indústria nacional mostrou crescimento de 4,7% em novembro de 2017, com 14 dos 15 locais pesquisados apontando resultados positivos. Goiás (17,0%) e Pará (10,7%) assinalaram as expansões mais intensas. Na contramão, o Rio Grande do Sul (-0,2%) apontou o único recuo em novembro de 2017, pressionado, em grande parte, pelo recuo na atividade de máquinas e equipamentos.

No acumulado de janeiro a novembro de 2017, frente a igual período do ano anterior, houve altas em 12 dos 15 locais pesquisados, com destaque para o avanço de dois dígitos no Pará (10,5%). Paraná (4,8%), Goiás (4,6%), Mato Grosso (4,5%), Santa Catarina (4,5%), Rio de Janeiro (3,9%), Amazonas (3,2%), São Paulo (3,0%) e Ceará (2,4%) também registraram crescimento acima da média da indústria (2,3%). Espírito Santo (2,3%), Minas Gerais (1,8%) e Rio Grande do Sul (0,5%) completaram os resultados positivos. Por outro lado, Bahia (-2,7%), Região Nordeste  (-0,5%) e Pernambuco (-0,5%) mostraram taxas negativas.

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!