Bolsas de Nova Iorque renovam máximas históricas – Jornal do Comércio

Os mercados acionários americanos deram prosseguimento ao rali deste início de ano e voltaram a renovar máximas históricas de fechamento nesta sexta-feira (12), guiados pelo forte desempenho de companhias ligadas ao setor de energia e ao financeiro. Empresas de tecnologia também apresentaram fortes ganhos nesta sexta-feira, puxadas pela Amazon.

O índice Dow Jones fechou em alta de 0,89%, aos 25.803,19 pontos; o S&P 500 subiu 0,67%, aos 2.786,24 pontos; e o Nasdaq avançou 0,68%, aos 7.261,06 pontos. Na semana, os indicadores acionários apresentaram ganhos de 1,68%, 1,20% e 1,17%, respectivamente. Com esse resultado, os três renovaram recordes de fechamento.

Como amplamente esperado pelos agentes do mercado, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, não retirou o país do acordo nuclear do Irã de 2015, mas seu governo impôs novas sanções contra a nação persa. As penalidades incluíam autoridades do país, empresas e instituições do governo e tinham como foco o programa de mísseis de Teerã e abusos relacionados aos direitos humanos. Com novas sanções, a expectativa é de que as tensões geopolíticas continuem a impulsionar os preços do petróleo, que estão no maior nível desde dezembro de 2014. Seguindo o movimento do óleo cru, a ação da Chevron fechou em alta de 0,78% e a da ExxonMobil ganhou 0,68%.

O Dow Jones e o S&P 500 ganharam mais de 4% cada durante as duas primeiras semanas deste ano. Alguns investidores disseram que o início da temporada de balanços nesta sexta-feira deve ajudar a manter as ações americanas em alta nas próximas semanas. O J.P Morgan iniciou a temporada referente ao quarto trimestre de 2017 e, apesar de uma forte queda no lucro do período, a ação do banco subiu 1,65%, com perspectivas positivas em torno da reforma tributária nos EUA no futuro. Já o Wells Fargo, que também divulgou balanço, fechou em queda de 0,73%. A BlackRock relatou um salto de 20% no lucro ajustado do quarto trimestre em relação ao mesmo período de 2016 e sua ação apresentou valorização de 3,27%.

“Os investidores estão à procura de um forte crescimento no lucro das empresas com a expectativa em torno da reforma tributária”, disse o estrategista de mercados globais da JonesTrading, Yousef Abbasi. Já o estrategista sênior de investimentos da U.S. Bank Wealth Management, Rob Haworth, afirmou que “a perspectiva de crescimento bastante consistente em todo o mundo fornece uma base sólida para o movimento nos mercados de ações”.

A Amazon atingiu máxima histórica de fechamento nesta sexta-feira, ao subir 2,23%, a US$ 1.305,20, após a SunTrust elevar o preço-alvo da ação da companhia para US$ 1.400. Entre outras companhias do setor de tecnologia, o Facebook fechou em baixa de 4,47%, após a decisão da empresa de mudar a composição do feed de notícias para que apareçam mais postagens de amigos, e não informações de empresas e de notícias. Já o Twiiter apresentou valorização de 4,35%, a US$ 25,41, chegando a tocar o maior nível desde 2015, após a BTIG elevar o preço-alvo da ação da tech de US$ 5 para US$ 30.

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!