Petróleo fecha em alta após EUA emitirem novas sanções contra o Irã – Jornal do Comércio

Os contratos futuros de petróleo fecharam em alta nesta sexta-feira (12), à medida que investidores digeriram informações sobre o acordo nuclear do Irã, que foi mantido pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.

Na New York Mercantile Exchange (Nymex), o petróleo WTI para fevereiro fechou em alta de 0,78%, a US$ 64,30 por barril. Já na Intercontinental Exchange (ICE), o barril do petróleo tipo Brent para março avançou 0,88%, a US$ 69,87.

Desde junho do ano passado, os preços do petróleo subiram mais de 50%. Os dois benchmarks registraram ganhos por quatro semanas consecutivas, impulsionados por tensões geopolíticas, rupturas de oferta e cortes na produção da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep). Mais recentemente, os preços foram apoiados pelo clima frio nos EUA e na China, além de dúvidas em torno do acordo nuclear do Irã.

O acordo, aliás, ajudou os preços do petróleo a se firmarem em alta nesta sexta-feira durante a tarde. Apesar de ter mantido Washington no acordo nuclear do Irã, o governo Trump emitiu mais sanções contra o país. Com isso, a commodity acelerou os ganhos e fechou, novamente, no maior nível desde dezembro de 2014. Para o vice-presidente sênior de futuros de energia da RJ O’Brien & Associates, Ric Navy, os preços do petróleo negociados em Nova Iorque poderiam atingir US$ 70 por barril em breve, com poucos agentes dispostos a impedir o aumento incansável dos preços.

O dólar mais fraco também ajudou a elevar os preços do petróleo nesta sexta-feira. O índice DXY, que mede a moeda americana contra uma cesta de outras seis divisas, chegou ao menor nível desde janeiro de 2015, ao perder o nível dos 91 pontos e fechar a 90,974 pontos. Com isso, os agentes ignoraram o aumento de 10 poços e plataformas de petróleo em atividade nos EUA na semana passada, para 752, como informou a Baker Hughes.

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!