Montadoras pedem que administração Trump não saia do Nafta – Exame

Detroit – Montadoras globais pediram nesta segunda-feira a administração Trump não encerre o Acordo de Livre Comércio da América do Norte (Nafta, na sigla em inglês) e expressou esperança de que Estados Unidos, Canadá e México possam concluir com sucesso um pacto comercial modernizado e melhorado.

O presidente-executivo da Fiat Chrysler, Sergio Marchionne, que anunciou na semana passada que planeja mudar a produção de caminhões pesados ​​do México para Michigan até 2020, disse que esperava que o governo Trump “atinja” algumas das suas demandas de conversa comercial.

Trump ameaçou sair do Nafta, que é fortemente usado pelas montadoras que possuem cadeias de produção e fornecimento distribuídas pelos três países.

Marchionne disse que a mudança da linha de produção de caminhão da Fiat Chysler em parte “demanda um longo caminho, eu penso em abordar algumas preocupações do presidente Trump sobre a capacidade de deslocamento de produção fora dos EUA”.

A decisão pode reduzir o risco de que caminhões sejam atingidos com imposto de 25 por cento se o Nafta for desfeito.

O presidente-executivo da Ford, Jim Hackett, disse que o Nafta precisa ser “modernizado”, acrescentando que a Ford possui a maior porcentagem de veículos montados nos EUA.

Ao contrário da General Motors e da Fiat Chysler, a Ford não monta caminhões no México.

A presidente-executiva da GM, Mary Barra, expressou otimismo de que o Nafta sobreviverá com melhorias. Outros executivos da montadora estavam de acordo com os planos da empresa para continuar a construir caminhões no México.

Fonte Oficial: Exame.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!