Com feriado nos EUA, Ibovespa sobe 0,51% – Jornal do Comércio

Sem o norte dado pelos mercados acionários de Wall Street, em razão do feriado norte-americano em homenagem a Martin Luther King, o Ibovespa navegou ao sabor das perspectivas mais favoráveis para a economia brasileira, após o Banco Central ter divulgado que o IBC-Br aponta para expansão mais forte do Produto Interno Bruto (PIB). A sessão desta segunda-feira também foi pautada pela influência técnica do vencimento de opções sobre ações.

O índice à vista fechou em alta de 0,51%, aos 79.752 pontos, novo recorde nominal. O giro financeiro chegou a R$ 10,108 bilhões, contando com o volume gerado pelo exercício de opções sobre ações. Apenas o exercício movimentou R$ 4,761 bilhões. Do total, R$ 4,518 bilhões foram de opções de compra e R$ 242,5 milhões de opções de venda.

Entre as blue chips, a Vale ON operou e fechou perto da estabilidade (-0,18%), apesar da queda acentuada do minério de ferro, no porto de Qingdao na China, mas em sintonia com suas correlatas no mercado londrino. Já os papéis da Petrobras seguiram o sinal positivo das cotações dos futuros do petróleo no exterior e encerraram o pregão em alta contida, de 0,54% (ON) e 0,29% (PN).

Após chegar a ser negociado abaixo de R$ 3,20, o dólar renovou as máximas no período da tarde e fechou no patamar de R$ 3,21, em dia de liquidez reduzida por causa do feriado norte-americano. Segundo operadores, após o fechamento da Ptax do dia, o volume de negócios caiu ainda mais, ao mesmo tempo em que importadores aproveitaram a queda recente da moeda para ir às compras. A taxa Ptax fechou cotada a R$ 3,1963, em queda de 0,73%, sobre o fechamento anterior (R$ 3,2197).

O câmbio doméstico foi na contramão do exterior, em que o dólar seguiu fraco frente às principais moedas. O movimento de baixa do dólar também era visto ante moedas de países emergentes. O dólar à vista terminou em alta de 0,23%, a R$ 3,2141. O giro foi de US$ 588 milhões. No mercado futuro, o dólar para fevereiro fechou com ganho de 0,31%, a R$ 3,2235. O volume foi de US$ 9,028 bilhões.

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!