Bndes lança linha de R$ 6 bilhões para micro e pequenas empresas – Jornal do Comércio

O Bndes firmará hoje um convênio com o Sebrae para oferecer uma linha de crédito de R$ 6 bilhões a microempreendedores individuais (MEIs), micro e pequenas empresas. Segundo Guilherme Afif Domingos, presidente do Sebrae, um projeto-piloto deve começar a funcionar em até 60 dias. O destino inicial seria São Paulo, preferencialmente nas comunidades de Heliópolis e Paraisópolis, por causa da parceria da entidade com a Central Única de Favelas (Cufa).

A parceria pretende beneficiar até 150 mil MEIs, 90 mil microempresas e 40 mil empresas de pequeno porte. Para reduzir os custos do gerenciamento da concessão de crédito, a aposta do Sebrae é a contratação de uma fintech. As informações sobre condições e juros da linha ainda serão confirmadas.

“Linha de crédito para atingir o MEI é uma novidade. O grande desafio do microcrédito é que o processo exige uma taxa baixa. Há um custo administrativo de gerenciar a concessão de crédito se o empreendedor almeja um empréstimo de R$ 500 mil ou de R$ 5 mil”, disse o presidente do Sebrae.

O plano de trabalho prevê quatro eixos principais que deverão ser executados no prazo de dois anos: concessão de crédito orientado e garantias; canais de distribuição de crédito e financiamento; capitalização das micro e pequenas empresas; e relacionamento institucional.

Também hoje, o Bndes vai lançar uma consulta pública para selecionar soluções tecnológicas de fintechs. O objetivo é investigar alternativas existentes no mercado que se enquadrem em quatro tipos de serviços que o banco deseja oferecer às empresas de menor porte: educação financeira, análise de crédito, matching de soluções financeiras e leilões reversos de crédito para financiamento.

Com isso, o banco espera melhorar o perfil de crédito das micro, pequenas e médias empresas (MPME) e ampliar o acesso desse grupo de empreendedores ao financiamento, além de profissionalizar a gestão financeira.

“Para participar, exige-se que a ferramenta atenda a pelo menos 50% dos requisitos listados para cada assunto pretendido, que a empresa seja constituída legalmente e registrada como sociedade limitada ou sociedade anônima e que a solução esteja disponível operacionalmente no mercado há pelo menos um ano”, informou o Bndes em comunicado.

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!