Dólar apresenta sinais mistos em meio a ajustes e com exterior no radar – Jornal do Comércio

O dólar mostra sinais mistos ante o real em meio aos ajustes em relação ao fechamento anterior. Nesta quarta-feira (17) o dólar à vista caiu aos R$ 3,2136, enquanto o dólar futuro de fevereiro terminou em baixa, aos R$ 3,2300. Os sinais desiguais também refletem um dólar misto no exterior na manhã desta quinta. Lá fora, segue no radar a possibilidade de um acordo entre republicanos para estender temporariamente o teto da dívida dos Estados Unidos.

Segundo a agência Associated Press, o presidente da Câmara dos Representantes, Paul Ryan, costura um acerto dentro do Partido Republicano para manter o governo americano em funcionamento até 16 de fevereiro. O nível atual do teto expira nesta sexta-feira (19). Ao mesmo tempo, Ryan admite estar otimista com um acerto com democratas para resolver o impasse sobre a questão imigratória e votar o orçamento para o ano fiscal corrente nas próximas semanas.

Além disso, as moedas ligadas a commodities se beneficiam do crescimento acima do esperado do PIB da China no quarto trimestre, que teve expansão anual de 6,8%, acima da previsão de 6,7% de analistas. Em todo o ano de 2017, a China cresceu 6,9%, acelerando o ritmo em relação ao avanço de 6,7% verificado em 2016. Foi a primeira vez que o PIB anual chinês ganhou força desde 2010.

Às 9h35min desta quinta-feira (18), o dólar à vista subia 0,23%, aos R$ 3,2209. O dólar futuro de fevereiro caía 0,09%, aos R$ 3,2270. Em Nova Iorque, o dólar avançava para 111,26 ienes, de 111,19 ienes na tarde de quarta; e o euro recuava a US$ 1,2238, de US$ 1,2216 no fim da tarde de ontem. Em relação a moedas ligadas a commodities, o dólar americano perdia ante o dólar australiano (-0,40%), o real (-0,09%), o peso chileno (-0,16%), a rupia indiana (-0,03%), o rublo (-0,26%), a lira turca (-0,66%) e o rand sul africano (-0,42%).

Na manhã desta quinta, em entrevista à rádio Metrópole, de Salvador (BA), o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, afirmou que “é possível que a reforma da Previdência seja aprovada, trabalhamos nessa direção”.

Sobre o rebaixamento das notas de crédito do País pela S&P Global, na semana passada, Meirelles diz que sua impressão é de que “não afasta investidores”. “A bolsa continuou subindo, dólar continuou estável e juros, caindo um pouco.” Para ele, os investidores já consideravam que rebaixamento viria e estão olhando para frente.

Destaque também nesta manhã para a emissão da Natura de até US$ 1,150 bilhão em notes.

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!