Dólar fecha em baixa ante o real, em linha com sinal negativo no exterior – Jornal do Comércio

O câmbio doméstico acompanhou a tendência global e o dólar fechou em leve baixa ante o real, retornando ao patamar de R$ 3,20. A moeda americana abriu em alta nesta quinta-feira (18), inverteu o sinal ainda no fim da manhã, quando bateu as mínimas da sessão, voltou a subir e no meio tarde se firmou em queda, diante da desaceleração global frente a divisas emergentes e a várias moedas fortes. O motivo, que também levou as bolsas em Nova Iorque baterem mínimas e influenciou o Ibovespa, foi a possibilidade de paralisação do governo dos Estados Unidos.

O presidente americano, Donald Trump, acusou os democratas de impedirem a votação da extensão do teto da dívida e da continuidade do financiamento ao governo. O líder republicano no Senado, Mitch McConnell, estaria planejando deixar o governo paralisar a partir de sábado para pressionar a oposição democrata na Casa, segundo informações do site Politico. O atual limite da dívida expira nesta sexta-feira, às 23h59 (de Washington).

De novo, o cenário interno foi deixado em segundo plano, embora o dólar tenha chegado a bater mínimas no fim da manhã com a reabertura pelo Tesouro da emissão do título Global 2047. A emissão alimentou as expectativas de novos ingressos de recursos estrangeiros no mercado local.

“O comportamento do dólar aqui mais uma vez é atribuído ao exterior, que está se sobrepondo à agenda nacional”, comentou Leandro Ruschel, sócio-fundador do Grupo L&S, lembrando que o cenário global de maior apetite ao risco visto desde o início do ano permanece. “Mas, mais à frente, pode haver volatilidade em função do julgamento do recurso do ex-presidente Lula. O mercado já precificou Lula fora da disputa eleitoral, e pode haver reversão se tivermos surpresa neste caso”, acrescentou.

O dólar à vista fechou em baixa de 0,13%, a R$ 3,2093. O giro foi de US$ 1,867 bilhão. No mercado futuro, a moeda americana para fevereiro terminou em queda de 0,54%, a R$ 3,2125. O volume foi de US$ 17,551 bilhões.

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!