Meirelles: “Previdência será votada, a questão é quando” – Exame

Meirelles ponderou que a velocidade de tramitação da matéria é prerrogativa do Congresso

Por Estadão Conteúdo

access_time 18 jan 2018, 20h07

São Paulo – O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, pediu nesta quinta-feira, 18, que a reforma da Previdência seja aprovada o mais rápido possível e disse que adiar a proposta de emenda constitucional (PEC) para 2019 seria ruim para a economia por prolongar a incerteza.

Apesar disso, Meirelles ponderou que a velocidade de tramitação da matéria é prerrogativa do Congresso. Ele evitou comentar se a reforma poderá ser adiada para depois das eleições se não houver votos suficientes na volta do recesso parlamentar, quando o governo pretende mandar a PEC ao plenário da Câmara.

“O que dizemos é que a reforma é fundamental, é importante e deve ser votada tão logo seja possível. O quando possível é decisão do comando do Congresso”, disse o ministro a jornalistas após gravar entrevista dada ao programa Canal Livre, da Bandeirantes.

Meirelles frisou que deixar para o ano que vem uma reforma, que inevitavelmente terá que ser feita, prolonga a incerteza, o que não é bom para a economia. Da mesma forma, disse que é melhor tirar logo o tema do debate.

O ministro disse acreditar que a reforma será votada, mas a questão é “quando” isso vai acontecer. “Quanto mais cedo, melhor”, declarou.

Caixa

Ele comentou ainda que a possibilidade de o presidente Michel Temer (MDB) perder apoio de partidos que indicaram os quatro vice-presidentes da Caixa afastados de suas funções por suspeita de corrupção é uma “questão que não se coloca”. “Estamos seguindo a lei de governança das estatais aprovada pelo Congresso. Acredito que essa questão não se coloca. Estamos seguindo estritamente a lei”, disse o titular da Fazenda.

Candidatura à Presidência

Meirelles reiterou também que só decide no fim de março ou no começo de abril se lança candidatura à Presidência da República. “Por enquanto, não penso nisso”, garantiu o ministro, reafirmando seu foco em recolocar o País nos trilhos do crescimento econômico sustentável.

Fonte Oficial: Exame.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!