Espera por julgamento de Lula trava negócios e juros fecham perto dos ajustes – Jornal do Comércio

A exemplo dos últimos dias, os juros futuros mais uma vez terminaram perto da estabilidade, com viés de queda em alguns contratos, numa sessão de volume abaixo do padrão. A falta de tração para o mercado teve novamente como argumento principal dos profissionais da renda fixa o compasso de espera pelo resultado do julgamento do ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva no próximo dia 24. Além disso, o noticiário esvaziado e a agenda sem destaques contribuíram para a retranca do investidor, que aguarda o julgamento com “otimismo contido”, nas palavras da gestora de renda fixa da Mongeral Aegon Investimentos, Patricia Pereira, em torno de um placar de 3 a 0 pela condenação de Lula.

A taxa do contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) para janeiro de 2019 fechou estável em 6,915% , assim como também ficou no mesmo patamar do ajuste de quinta-feira DI para janeiro de 2023, em 9,69%. A taxa do DI para janeiro de 2020 passou de 8,10% para 8,08% e a do DI para janeiro de 2021, de 8,94% para 8,93%.

Da mesma forma como percorreram a manhã, as taxas passaram a tarde com oscilações restritas, mesmo diante da sequência de mínimas do dólar, que levou a moeda abaixo dos R$ 3,20 no intraday, e de notícias como a decisão da Petrobras de reduzir também os preços do GLP de uso industrial e comercial, como já havia feito com o gás de uso residencial. “Não tem nada hoje, estamos na expectativa com o julgamento e com a agenda vazia, que começará a ganhar corpo só na véspera do julgamento”, disse Patricia.

No exterior, o clima também é de expectativa, no aguardo de uma definição de um acordo entre republicanos e democratas no Senado para impedir a paralisação do governo à meia-noite. O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e o senador democrata Chuck Schumer, líder do partido no Senado, estão reunidos para tratar do tema. A extensão do financiamento ao governo federal e a elevação o teto da dívida do país até 16 de fevereiro deve ser votada nesta sexta no Senado.

Para o banco Goldman Sachs, a possibilidade de paralisação do governo federal dos Estados Unidos aumentou de 35% para 60%.

Às 16h41, o dólar à vista caía 0,20%, aos R$ 3,2029, e o Ibovespa subia 0,04%, aos 80.995,50 pontos. Em Wall Street, o Dow Jones recuava 0,19% e o S&P 500 avançava 0,15%.

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!