Ministério da Fazenda diz que preço do gás de cozinha não foi tratado por Meirelles e Parente – Jornal do Comércio

O Ministério da Fazenda divulgou nota nesta sexta-feira (19), para esclarecer que o reajuste de preços do botijão de gás de cozinha (GLP) não foi tratado na reunião entre o ministro Henrique Meirelles e o presidente da Petrobras, Pedro Parente, na última terça-feira (16).

A Petrobras anunciou na quinta-feira (18), sua nova política de preços para o gás de cozinha, desenhada para amenizar os repasses das oscilações de preços internacionais para consumidores brasileiros.

A mudança vem depois de o produto ter registrado constantes elevações nos últimos meses. Segundo a Agência Nacional do Petróleo (ANP), a alta repassada ao consumidor já chega a 17,7% desde que a companhia passou a fazer ajustes mensais no preço do GLP, em junho de 2017. Nas refinarias, o avanço foi ainda maior

Em meio às comemorações do governo em torno do resultado da inflação em 2017, a menor desde o Plano Real, o encarecimento do botijão de gás virou tema central de conversas sobre o orçamento das famílias. O próprio ministro da Fazenda foi questionado sobre o assunto em recentes entrevistas que concedeu a rádios.

Apesar da diferença de dois dias entre a reunião de Meirelles e Parente e o anúncio da nova política, a Fazenda fez questão de ressaltar que não passa de uma coincidência. “Não houve nenhuma interferência na política de preços da empresa”, diz a nota.

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!