FMI melhora projeção de crescimento global após reforma nos EUA – Exame

O FMI alertou que o crescimento dos EUA deve começar a enfraquecer após 2022, à medida que acabarem os incentivos de gastos temporários

Por Reuters

access_time 22 jan 2018, 12h52

O Fundo Monetário Internacional (FMI) revisou para cima sua previsão para o crescimento econômico global em 2018 e 2019 dizendo que os cortes tributários nos Estados Unidos devem aumentar os investimentos na maior economia do mundo e ajudar seus principais parceiros comerciais.

Entretanto, em uma atualização de seu relatório “Perspectiva Econômica Global” divulgada nesta segunda-feira, o FMI alertou que o crescimento dos EUA deve começar a enfraquecer após 2022, à medida que acabarem os incentivos de gastos temporários desencadeados pelas reduções de impostos.

Os cortes de impostos provavelmente ampliarão o déficit em conta corrente dos Estados Unidos, fortalecerão o dólar e afetarão fluxos de investimentos internacionais, disse o economista-chefe do FMI, Maurice Obstfeld.

O presidente dos EUA, Donald Trump, transformou em lei a enorme reforma tributária dos republicanos de 1,5 trilhão de dólares em dezembro, consolidando a maior vitória legislativa de seu primeiro ano na Casa Branca.

O FMI revisou sua previsão para o crescimento global para 3,9 por cento tanto para 2018 como para 2019, em uma mudança de 0,2 ponto percentual em relação a sua projeção de outubro.

O documento também disse que a atividade econômica na Europa e na Ásia foi surpreendentemente mais forte do que o esperado no último ano, e que agora estima-se que o crescimento global de 2017 chegou a 3,7 por cento, 0,1 ponto percentual a mais do que projetado em outubro.

“As mudanças na política tributária dos EUA devem estimular a atividade, com o impacto de curto prazo nos Estados Unidos impulsionado principalmente pela resposta de investimentos aos cortes nos impostos sobre a receita corporativa”, disse o FMI na atualização, divulgada durante o Fórum Econômico Mundial em Davos, na Suíça.

O FMI disse que agora a expectativa é de que a economia dos EUA cresça 2,7 por cento em 2018, contra previsão de 2,3 por cento divulgada pelo Fundo em outubro. O crescimento norte-americano deve diminuir, chegando a 2,5 por cento em 2019, disse.

O FMI também revisou para cima suas previsões de crescimento para a zona do euro, especialmente para a Alemanha, Itália e Holanda, “refletindo o impulso mais forte na demanda interna e maior demanda externa”.

O FMI manteve suas previsões de crescimento para mercados emergentes e países em desenvolvimento para este e o próximo ano. A economia da China ainda deve expandir 6,6 por cento este ano e desacelerar para 6,4 por cento em 2019.

Na América Latina, o crescimento será pressionado por um colapso econômico na Venezuela, apesar da melhora na atividade econômica do Brasil e no México, disse o FMI.

Fonte Oficial: Exame.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!