Fundo negocia fatia do Walmart no Brasil – Jornal do Comércio

O fundo de investimento americano Advent está em conversas com a rede varejista Walmart para comprar parte das operações da companhia no Brasil. Com quase 500 lojas no País e faturamento de R$ 29,6 bilhões, segundo dados de 2016, a gigante americana do varejo iniciou um processo de reestruturação numa tentativa de melhorar seu desempenho no mercado brasileiro.

A notícia de que Advent e Walmart se aproximaram foi publicada neste domingo (21) na coluna do jornalista Lauro Jardim, de O Globo, que informou que a gestora teria interesse em adquirir 50% da companhia no Brasil.

O jornal O Estado de S. Paulo apurou que o formato de uma possível sociedade entre as duas partes ainda está em discussões preliminares e não há uma definição de como essa transação pode ser fechada. Fontes a par do assunto afirmaram que o Advent estuda há algum tempo como entrar nesse modelo de negócios no Brasil. Procurados pelo jornal, Advent e Walmart não comentam o assunto.

Pressionada pela matriz nos Estados Unidos por conta de seu baixo desempenho no Brasil, a rede colocou em marcha um processo de reestruturação, que inclui fechamentos de lojas que tinham resultados deficitários, mudança de seus principais executivos e uma reforma do conceito de hipermercado e supermercados.

Com 470 lojas no País, a varejista anunciou no fim do ano passado investimentos da ordem de R$ 1,5 bilhão para reformar unidades de hipermercados e supermercados no Brasil e fazer a conversão das bandeiras – Nacional e Big, líderes no Sul do País, e Bompreço, no Nordeste, para Walmart. A expectativa é que esses investimentos sejam concluídos nos próximos três ou quatro anos.

Fontes de mercado familiarizadas com o assunto afirmaram que a rede tem até o fim do ano que vem para voltar a gerar bons resultados no mercado brasileiro.

Com apetite para negócios no Brasil e na América Latina, o Advent tem considerado diversos setores para crescer na região. Nos últimos três anos, a gestora entrou em importantes operações no Brasil, que incluem a compra de fatia no laboratório Fleury e a consolidação na área de distribuição de produtos químicos, com a quantiQ, que pertencia à Braskem. Eles também fecharam negócios para avançar no setor de autopeças e em operações financeiras.

Com a recessão, o fundo tem buscado oportunidades em setores com potencial de crescimento no País. No ano passado, também investiu pesado na compra de ações da rede de ensino Estácio. A gestora, que participou da consolidação da Kroton/Anhanguera no passado, quer replicar o mesmo modelo no grupo carioca de educação.

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!