Em Davos, 70 chefes de estado debatem um mundo fraturado – Exame

ÀS SETE – Tema da conferência este ano é “Criando um futuro compartilhado num mundo fraturado”

Por EXAME Hoje

access_time 23 jan 2018, 07h17 – Publicado em 23 jan 2018, 06h38

Começa, nesta terça-feira, a reunião anual do Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça. O primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi, é o responsável por abrir a plenária, e entra para a história como o primeiro chefe de estado do país a comparecer ao evento em duas décadas. O tema da conferência este ano é “Criando um futuro compartilhado num mundo fraturado”.

Às Sete – um guia rápido para começar seu dia

Leia também estas outras notícias da seção Às Sete e comece o dia bem informado:

O evento vai até sexta-feira, e contará com a participação do presidente americano, Donald Trump, que confirmou sua viagem para a Europa após o fim do imbróglio orçamentário americano.

A comitiva deve contar com uma centena de pessoas sob a bandeira “America First”. O protagonista do ano passado, o presidente chinês Xi Jinping, foi responsável por abrir o fórum com um discurso pró-globalização — numa cutucada direta ao protecionismo de um Trump recém empossado —, mas ele não comparecerá ao evento este ano. Não se sabe se Trump vai à Suíça para criticar a globalização ou adotará um discurso apaziguador a favor da integração.

O dia em que o Brasil terá destaque no evento será quarta-feira, que terá um discurso do presidente Michel Temer logo cedo, com o tom de retorno do Brasil ao jogo global.

Com ele, estão os ministros Henrique Meirelles (Fazenda), Moreira Franco (Secretaria-Geral da Presidência), Fernando Filho (Minas e Energia) e uma comitiva de empresários que deve fazer da delegação brasileira a maior da história. A última vez que um presidente brasileiro foi a Davos foi há quatro anos, com Dilma Rousseff.

Serão mais de 70 chefes de estado, um recorde para o evento. A chanceler alemã, Angela Merkel, decidiu ir de última hora, e chega com sua coalizão de governo formada.

Ela deve se juntar ao presidente francês Emmanuel Macron em uma defesa conjunta da maior integração entre os países – e, consequentemente, da União Europeia.

Entre discursos pró e contra a globalização, a única certeza na Suíça é o frio: ontem caiu mais de 1,5 metro de neve e a ameaça de avalanches chegou ao nível máximo. A neve deu um tempo nesta terça-feira, mas os convidados continuam com dificuldades de chegar ao evento.

Fonte Oficial: Exame.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!