Volume de fusões e aquisições na América Latina sobe 23,3% em 2017 – Valor

SÃO PAULO  –  O volume de fusões e aquisições na América Latina subiu 23,3% em 2017 ante 2016, para US$ 94,4 bilhões, segundo dados da consultoria Mergermarket. O Brasil respondeu por 41,2% desse total, “como resultado do fortalecimento da economia e maiores gastos dos consumidores”, diz o relatório.

Em número de operação, 2017 registrou 610 fusões e aquisições na América Latina. Em termos de setores, o destaque na região foi o de telecomunicações, com US$ 20,1 bilhões em volume. A maior operação, de US$ 13,4 bilhões, foi a cisão da Lyberty Global, que culminou com a criação da Liberty Latin America, sediada no Chile. Já a transação de maior monta envolvendo o Brasil foi a venda da Eldorado Celulose para a canadense Paper Excellence, por US$ 4,34 bilhões.

Entretanto, o maior volume foi registrado no setor de energia, mineração e serviços públicos (utilities), com US$ 26,8 bilhões, em 121 operações.

Segundo a Mergermarket, inovações tecnológicas no setor de serviços financeiros também começam a atrair interesse dos investidores. “O consumerismo [conceito que se relaciona com o consumo responsável] guiado pela tecnologia deve ter um impacto na região em 2018”, aponta.

Já em relação ao país de origem, China e Canadá continuam a dominar, respondendo por 21,4% do total. O setor de energia é um dos mais atrativos para esses investidores, atraindo US$ 7,5 bilhões dos chineses e US$ 3,2 bilhões dos canadenses.

Em termos de consultores financeiros, nas transações envolvendo empresas brasileiras o destaque foi o BTG Pactual, que participou de negócios avaliados em US$ 14,34 bilhões. Na sequência aparecem Bank of America, com US$ 8,97 bilhões, e Itaú BBA, com US$ 8,29 bilhões. Já o maior consultor legal foi o escritório Mattos Filho, com US$ 14,83 bilhões. A lista conta ainda com Lefosse Advogados, com US$ 7,58 bilhões, e Machado Meyer, com US$ 7,25 bilhões.

Fonte Oficial: Valor.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!