Bolsa cai com cautela antes do julgamento do recurso de Lula – Jornal do Comércio

O Ibovespa operou ontem descolado do exterior, com os investidores voltando os olhos mais para os riscos domésticos do que para as perspectivas positivas de crescimento global que se seguem. As incertezas com relação ao julgamento do recurso da condenação em primeira instância do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva serviram como mote para o movimento de realização de ganhos que acumulavam perto de 7% somente em janeiro.

O índice à vista resistiu na primeira etapa da sessão de negócios no patamar dos 81 mil pontos, mas acentuou a trajetória de queda no fim da manhã e largou esse nível. A desvalorização se deu em dia de alta do dólar frente ao real. Fechou aos 80.678 pontos, com perda de 1,22%. O giro financeiro foi forte, de R$ 11,686 bilhões. Ainda assim, o Ibovespa está valorizado em 5,60% na conta do primeiro mês de 2018.

As ações da Petrobras oscilaram com recuo entre 1% e 1,5% – fechando em queda entre 0,62% e 0,97% -, na contramão das cotações do petróleo no mercado internacional. O desempenho negativo dos papéis das empresas do bloco de siderurgia, liderados pela Vale, ocorreram em reação à queda de 3% no minério de ferro no segmento à vista, na China e também em sintonia com as mineradoras na Europa. Com a queda de 4,17% na sessão desta terça, Vale ON devolve a maior parte dos ganhos de janeiro, acumulando variação de 1,52% neste mês.

De acordo com um operador, o recuo do Ibovespa só não foi maior porque o bloco financeiro deu sustentação na maior parte do pregão, à exceção de ItauUnibanco, que fechou com perdas.

O dólar manteve-se no terreno positivo frente ao real durante todo o dia, batendo as máximas na reta final do pregão, na medida em que se aproxima o julgamento do recurso do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva contra sua condenação. O câmbio doméstico foi na contramão do exterior, já que a moeda norte-americana voltou a exibir desempenho fraco ante divisas fortes e a maioria das emergentes ontem.

O dólar à vista fechou em alta de 0,84%, a R$ 3,2359. O volume foi de US$ 868 milhões. A moeda norte-americana para fevereiro terminou a sessão com ganho de 1,06%, a R$ 3,2410. O giro foi de US$ 19,412 bilhões.

 

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!