Dólar cai e Ibovespa sobe no início do dia do julgamento de Lula – Valor

SÃO PAULO  –  Os mercados financeiros nacionais operam com tranquilidade na manhã desta quarta-feira, dia em que ocorre o julgamento do recurso do  ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) contra sua condenação no caso do tríplex do Guarujá, evento político mais esperado deste começo de ano.

Nos primeiros negócios desta quarta-feira, o dólar opera em queda e os juros futuros oscilam perto da estabilidade. O Ibovespa sobe mais de 1%, sem nenhuma ação em queda às 10h10. 

O julgamento pelos três desembargadores que compõem a 8ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) começou às 8h30. Os magistrados definem a situação jurídica do petista, sentenciado em 12 de julho de 2017 a nove anos e meio de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro pelo juiz federal Sergio Moro.

A relativa calmaria dos primeiros negócios sinaliza a prontidão prévia dos investidores, que já vinham se preparando nos últimos dias. Uma postura mais defensiva foi intensificada até ontem, deixando o mercado “mais leve”, isto é, com menos exposição enquanto se espera da decisão do TRF-4. Desta forma, os ativos acabam recebendo uma influência maior do sinal do exterior.

Por volta das 10h10, o dólar comercial caía 0,69%, a R$ 3,2146, num dia de forte queda da moeda americana no exterior. Há pouco, todas as 33 divisas globais ganhavam terreno. O destaque era o dólar da Austrália enquanto o real, ao lado do peso mexicano, ficava entre 10 desempenhos menos positivos.

Os juros futuros oscilam perto da estabilidade, sem definir uma trajetória clara. O DI janeiro/2021 é negociado a 8,980%, ante 8,990% no ajuste anterior. Entre vencimentos mais longos, o DI janeiro/2023 é negociado a 9,780% e o DI janeiro/2025, a 10,180%, sem grandes variações ante os respectivos valores de ajuste.

O principal índice da bolsa brasileira subia 1,11%, aos 81.576 pontos, impulsionado pelo ambiente externo ainda favorável ao risco, com valorização das commodities, e pelo fato de o Ibovespa já ter passado por uma correção ontem (o indicador recuou 1,22% para 80.678 pontos, numa sessão em que o volume financeiro atingiu R$ 9,3 bilhões). 

Os participantes do mercado trabalham, em geral, com a expectativa de que Lula será condenado. A decisão por unanimidade no TRF-4 estaria incluída em boa parte dos cenários de mercado. A leitura é de que, caso confirmada, pode trazer um ganho adicional para os ativos porque diminuiriam as chances de o petista ser candidato à Presidência. A avaliação dos agentes financeiros é de que o petista tenderia a fazer um governo que não daria prioridade às reformas defendidas pelo mercado como necessárias para a atração de investimentos ao país e ao crescimento econômico. 

A frustração com o resultado, entretanto, é o que provocaria o impacto mais forte. Um placar dividido, embora ainda contrário a Lula, pode provocar uma forte correção dos ativos e a devolução de parte da melhora dos preços observada neste ano. Já a absolvição do ex-presidente, principalmente no caso de decisão unânime, é considerada o risco com impacto mais acentuado.

Fonte Oficial: Valor.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!