Em Davos, Blairo Maggi dirá que agricultura não gera desmatamento – Jornal do Comércio

O governo brasileiro tentará convencer líderes internacionais durante o Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça, de que a produção agrícola no País não é a fonte de desmatamento e que dados coletados de satélite revelam que apenas 9% do território nacional é usado para cultivos.

A tarefa de tentar modificar a imagem do Brasil no exterior caberá ao ministro da Agricultura, Blairo Maggi. Segundo ele, as informações veiculadas sobre o desmatamento no País seria uma forma de minar a concorrência das exportações nacionais.

De acordo com o ministro, à medida em que o Brasil ganhava destaque internacional no setor exportador, as críticas passaram a aumentar. “Muitos nos viam como ameaça, como um competidor, como de fato somos”, disse. “Ao longo desses anos, passaram a acusar o Brasil de não respeitar os direitos trabalhistas e ambientais. Esse ambiente foi se consolidando”, constatou.

Maggi, porém, insiste que agora é a vez de o País começar a reagir e que isso será feito em Davos. “O que nos resta a fazer é enfrentar esse assunto, com dados científicos e que possam ser auditados por qualquer um”, apontou.

Aos empresários e líderes estrangeiros, o ministro revela que vai apresentar dados coletados pela Embrapa que mostram o cenário da produção no País, feito a partir de imagens de satélite. “Temos apenas 9% do território ocupado pela agricultura, 13% pela pecuária e mais 8% para a pecuária em pastagens naturais”, disse. “O Brasil, portanto, é um país que alterou muito pouco o que tínhamos quando Pedro Álvares Cabral chegou”, insistiu Maggi. “63% das áreas ainda estão preservadas. Nenhum país do mundo tem mais isso. Vamos, agora, fazer um levantamento sobre outros países e comparar”, prometeu o ministro.

Segundo ele, nos EUA, o resultado desse levantamento foi o inverso do brasileiro em termos de ocupação. “Vamos fazer, agora, esse levantamento sobre nossos críticos, como Alemanha, França, e mostrar o que temos e o que eles têm”, disse.

“Fizemos a coisa certa. Vocês (europeus) que ficam inventando história contra nós que depois viram lendas urbanas. Agora, temos dados científicos para confrontar isso”, completou o ministro.

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!