Condenação de Lula faz bolsa subir 3,72% – Jornal do Comércio

O mercado financeiro reagiu com euforia à confirmação da condenação unânime do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, levando a bolsa brasileira a fechar acima dos 83 mil pontos pela primeira vez na história. O dólar também reagiu e recuou para R$ 3,16, influenciado, ainda, por declarações do secretário do Tesouro norte-americano.

O Ibovespa, índice das ações mais negociadas, teve alta de 3,72%, para 83.680 pontos, em novo recorde nominal. Foi a maior alta diária em um ano, desde 3 de janeiro de 2017. Corrigida pela inflação, a bolsa ainda está bem distante dos 73.516 pontos de maio de 2008, que, hoje, equivaleriam a cerca de 130 mil pontos.

No mercado cambial, o dólar à vista terminou em baixa de 1,93%, a R$ 3,1734. É o menor valor de fechamento desde 18 de outubro de 2017, quando ficou em R$ 3,1679. O giro foi de US$ 1,349 bilhão. No mercado futuro, o dólar para fevereiro encerrou em queda de 2,81%, a R$ 3,1500.

O placar de 3 a 0 já vinha sendo precificado no mercado financeiro desde o início do ano, aliado a uma conjuntura internacional que favorece os investimentos em risco. No ano, o Ibovespa acumula alta de quase 9%.

Já são 20 recordes nominais da bolsa brasileira desde setembro do ano passado – 11 deles só neste mês. “Vimos uma pressão compradora durante a sessão inteira, com o dólar recuando de forma mais intensa após os votos. O mercado viu com bons olhos a forma como foi conduzido o julgamento”, afirma Alexandre Wolwacz, sócio-fundador do Grupo L&S.

A razão para o otimismo do mercado com a notícia, diz Wolwacz, está na possibilidade de o ex-presidente ficar de fora da disputa eleitoral de 2018. “Os investidores não querem que o Lula volte como presidente. Eles não acham que um governo de esquerda terá um efeito positivo para a situação fiscal do País”, diz. “Não existe como o Brasil se sustentar economicamente sem uma modificação do sistema de gastos atual. Essa é a preocupação principal.” Para ele, a bolsa pode começar, nos próximos dias, um movimento de realização de lucros. A avaliação é o que o preço de muitos ativos está esticado.

A euforia no mercado fez 60 das 64 ações do Ibovespa fecharem em alta nesta quarta-feira. Somente quatro caíram: Fibria (-3,43%), Suzano (-0,95%), Cielo (-0,92%) e Ambev (-0,05%).

Mas o grande destaque da sessão foram as ações de estatais, que dispararam com a confirmação da condenação de Lula. A maior alta do Ibovespa foi registrada pelas ações preferenciais da Eletrobras, que subiram 9,69%. As ordinárias avançaram 7,83%.

A Petrobras também teve forte valorização. Os papéis preferenciais subiram 5,74%, para R$ 19,34, enquanto os ordinários avançaram 6,40%, para R$ 20,63. O Banco do Brasil disparou 7,93%, para R$ 37,99.

A notícia animou outras ações do setor financeiro. O Itaú Unibanco subiu 4,81%. As ações preferenciais do Bradesco avançaram 5,43%, e as ordinárias tiveram alta de 6,38%. As units – conjunto de ações do Santander Brasil – ganharam 4,71%.

A mineradora Vale também se beneficiou com esse cenário positivo na bolsa. As ações ordinárias da empresa subiram 2,23%, para R$ 41,78.

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!