Moody’s rebaixa rating do BRDE para Ba3, com perspectiva estável – Jornal do Comércio

A agência de classificação de risco Moody’s rebaixou, ontem, o rating de emissor de longo prazo em moeda local na escala global do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) para Ba3 de Ba2, bem como o rating de longo prazo em escala nacional brasileira (NSR) para A2.br de Aa3.br. A avaliação do perfil de crédito individual (BCA) do banco também foi rebaixada, para ba3 de ba2. A perspectiva para o rating de emissor em moeda local na escala global, bem como a perspectiva para o emissor, foi alterada para estável de negativa. Os demais ratings do BRDE não são afetados por esta ação.

Segundo a Moody’s, o rebaixamento reflete a piora da qualidade de ativos, apesar de o Brasil ter recentemente saído da recessão, e as pressões resultantes na rentabilidade do banco, bem como o risco que o BRDE agora enfrenta com as alterações na política de concessão de crédito do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (Bndes) – rating de depósitos em moeda local de Ba2, negativa – devido à alta concentração do volume de captação do BRDE com origem no Bndes.

Apesar destes desafios, a Moody’s destaca que os ratings do BRDE ainda refletem o papel consolidado do banco na promoção do desenvolvimento nos estados relativamente prósperos do Sul do Brasil, bem como a capitalização confortavelmente acima do mínimo regulatório. Em junho de 2017, o capital regulatório do banco foi 14,7%, contra um mínimo regulatório de 10,5%, e a Moody’s espera que o nível de capitalização fique estável em 2018.

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!