Volume de pós-fixado chega a 32,65% do total da dívida pública interna – Valor

BRASÍLIA  –  A participação de papéis pós-fixados na Dívida Pública Mobiliária Federal interna (DPMFi) caiu em dezembro para 32,65%, ante 32,74% em novembro, segundo dados divulgados pelo Tesouro Nacional.

Em dezembro de 2016, estava em 29,43%.

Pelas metas estabelecidas no Plano Anual de Financiamento (PAF), esses títulos devem apresentar percentual de participação entre 29% e 33% neste ano, mas a métrica considerada é a Dívida Pública Federal (DPF). Considerando, então, a dívida total, a participação desses papéis caiu de 31,6% em novembro para 31,51% no mês passado.

A fatia de papéis prefixados passou de 36,1% da DPMFi em novembro para 36,3% em dezembro. Os títulos indexados a índices de preços, por sua vez, terminaram dezembro em 30,62% da dívida interna, ante 30,72% em novembro. Os ativos corrigidos pelo câmbio fecharam em 0,44%, ante 0,43% em novembro.

O PAF estabelece intervalo de 32% a 36% para os prefixados considerando a DPF. Assim, esses papéis continuam encerrando o ano dentro da banda, respondendo por 35,34%, ante 35,16% em novembro.

No caso dos ativos atrelados a índices de preços, a banda é de 29% a 33% e em dezembro o percentual foi de 29,55% (29,66% em novembro), também dentro da meta. Para os ativos atrelados ao câmbio, o PAF prevê variação entre 3% e 7%, sendo que encerraram dezembro em 3,6% (3,59% em novembro).

Estrangeiros

A participação de investidores estrangeiros na DPFMi caiu em termos percentuais em dezembro, saindo de 12,67% do total em novembro para 12,12%. Em valor absoluto, a fatia recuou de R$ 427,12 bilhões para R$ 416,33 bilhões. Em dezembro de 2016, a participação era de 14,33%, ou R$ 427,83 bilhões.

No mês passado, a DPMFi avançou 1,88%, para R$ 3,435 trilhões.

As instituições de previdência fecharam dezembro com 25,46% da dívida, ante 25,37% de novembro, se consolidando como maiores financiadores do governo. Os fundos de investimento reduziram a participação para 25,18%, de 25,96% em novembro. As instituições financeiras encerraram o mês respondendo por 22,32% da DPMFi, contra 21,84% em novembro. O governo respondeu por 4,78% ante 4,6%. Já as seguradoras fecharam o mês com 4,78%, em comparação com 4,02% em novembro.

Fonte Oficial: Valor.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!