Apesar de sanções, Coreia do Norte exportou para o Sul e Japão – Exame

Conselho de Segurança da ONU proibiu exportações de carvão da Coreia do Norte em 5 de agosto sob sanções contra os testes de mísseis do país

Por Guy Faulconbridge, Jonathan Saul e Polina Nikolskaya, da Reuters

access_time 26 jan 2018, 09h22

Londres / Paris / Moscou – A Coreia do Norte embarcou carvão para a Rússia no ano passado, que foi então entregue para a Coreia do Sul e para o Japão, em uma possível violação de sanções da Organização das Nações Unidas (ONU), disseram três fontes do setor de inteligência da Europa ocidental.

O Conselho de Segurança da ONU proibiu exportações de carvão da Coreia do Norte em 5 de agosto sob sanções com o objetivo de cortar uma importante fonte de capital estrangeiro que Pyongyang precisa para financiar seus programas de armas nucleares e de mísseis de longo alcance.

Mas o recluso Estado comunista embarcou carvão ao menos três vezes desde então para os portos russos de Nakhodka e Kholmsk, onde o carvão foi descarregado em docas e recolocado em navios que seguiram para a Coreia do Sul ou Japão, disseram as fontes.

Uma fonte ocidental da área de transportes disse separadamente que algumas das cargas chegaram ao Japão e à Coreia do Sul em outubro do ano passado. Uma fonte da segurança dos Estados Unidos também confirmou o comércio de carvão via Rússia e disse que isso continua.

“O porto russo de Nakhodka está se tornando um centro de envio para carvão norte-coreano”, disse uma das fontes da segurança da Europa, que pediu anonimato por conta da sensibilidade de diplomacia internacional em torno da Coreia do Norte.

A embaixada russa na Coreia do Norte negou relatos de que a Rússia reenviou carvão norte-coreano apesar de sanções da ONU, relatou nesta sexta-feira a agência de notícias Interfax.

“Esta informação é falsa”, disse uma autoridade da embaixada, segundo a Interfax. “A Rússia não compra carvão da Coreia do Norte e não é um ponto de trânsito para entregas de carvão para terceiros países”, disse, de acordo com a agência.

Dois advogados especializados em sanções disseram à Reuters que as transações aparentam violar as sanções da ONU.

A Reuters não pôde verificar de forma independente se o carvão descarregado em portos russas é o mesmo carvão que foi então enviado para a Coreia do Sul e o Japão. A Reuters não pôde averiguar se os donos dos navios que seguiram da Rússia para a Coreia do Sul e para o Japão sabiam da origem do carvão.

O Departamento do Tesouro dos EUA colocou na quarta-feira o dono de um dos navios, o UAL Ji Bong 6, sob sanções por entregar carvão norte-coreano para Kholmsk em 5 de setembro.

É incerto quais companhias lucraram com os envios de carvão.

Fonte Oficial: Exame.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!