Pop Center promove realocação de espaços – Jornal do Comércio

Varejo


Notícia da edição impressa de 26/01/2018.
Alterada em 25/01 às 22h40min

Pop Center promove realocação de espaços

Sorteio de novos locais foi realizado na manhã desta quinta-feira

/MATHEUS MARTINS/PMPA/DIVULGAÇÃO/JC

Um sorteio para realocação dos lojistas do Pop Center foi realizado, na manhã desta quinta-feira, com o objetivo de proporcionar aos lojistas um melhor aproveitamento das instalações do centro popular de compras. A iniciativa foi promovida pela administração do Pop Center e pela Diretoria de Indústria e Comércio da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico.

Para a diretora do Pop Center, Elaine Deboni, a medida trará mais movimento ao local e beneficia os antigos proprietários. “Sem dúvida, é uma grande oportunidade para os lojistas. Estamos dando uma chance àqueles que estão aqui desde 2008 de melhorarem a localização de suas lojas. Hoje, eles estão podendo escolher onde ficarão. Todas as lojas que agora serão ocupadas foram fechadas pela fiscalização”, destaca.

A iniciativa oportunizou a transferência de lojistas localizados no Bloco B para 15 lojas disponíveis no Bloco A. Cerca de 38 locatários do Bloco B realizaram inscrições durante a semana e participaram do sorteio. Lojista desde a inauguração do Pop Center, em 2008, Cleusa Ribeiro, 52 anos, comemorou a aquisição do novo espaço de quatro metros quadrados. “Temos uma clientela fiel, mas, mesmo assim, o movimento, às vezes, era fraco. Com a mudança para a loja do Bloco A, acreditamos que as coisas vão melhorar bastante”, disse.

Para a comerciante Jacira Maria Ernesto, 56 anos, as perspectivas são as melhores. “Estou muito feliz, porque a expectativa é boa de ganhar mais, de termos mais público e mais oportunidade de vendas”, comemora a lojista, que está no Pop Center desde 2011.

O coordenador de Indústria e Comércio da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, Denis Carvalho, ressaltou a realização da atividade em um curto período de tempo. “É uma oportunidade para, cada vez mais, movimentar o Pop Center, trazer geração de renda para as pessoas e para o município, além de proporcionar empregos. Uma forma de incentivar o aumento do número de lojistas e, por consequência, do número de consumidores”, afirmou.

Após esta realocação, serão realizadas, futuramente, ações para ocupação das lojas disponíveis no Bloco B, que serão primeiramente sorteadas aos inscritos do chamamento realizado em 2015 e 2017. Permanecendo lojas desocupadas, será realizado novo chamamento para cadastramento de comerciantes populares.

Mais de 9 milhões de celulares foram bloqueados em dezembro no Brasil

Em dezembro do ano passado, foram bloqueados mais de 9,2 milhões de aparelhos celulares, um aumento de 20,97% em relação ao mesmo período de 2016. Os números constam do Cadastro Nacional de Estações Móveis Impedidas (Cemi) e foram divulgados pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

O cadastro mantém o registro de aparelhos perdidos, furtados ou roubados que estão bloqueados. No total, foram bloqueados, 9.259.697, um aumento de 1.604.875 em relação a dezembro de 2016. O número abrange os aparelhos impedidos por solicitação direta dos usuários às empresas de telefonia móvel e pelo registro de boletins de ocorrência na polícia nos estados e no Distrito Federal.

De acordo com a Anatel, até dezembro do ano passado, as polícias estaduais e do Distrito Federal bloquearam 180.508 celulares no Cemi. Os estados com maior número de celulares bloqueados pela polícia foram São Paulo, com 116.967; Rio de Janeiro, com 27.785; e Espírito Santo, com 10.179.

Confiança do comércio sobe 0,2 ponto em janeiro

O Índice de Confiança do Comércio (Icom) avançou 0,2 ponto na passagem de dezembro de 2017 para janeiro de 2018, para 95,1 pontos, informou a Fundação Getulio Vargas (FGV). Com o resultado, o indicador alcançou o maior patamar desde julho de 2014, quando estava em 95,4 pontos.

“A alta do Icom em janeiro foi influenciada pela melhora dos indicadores que medem a satisfação com a situação atual, que vem sendo sustentada por fatores como a inflação baixa, a recuperação gradual do mercado de trabalho e a evolução da confiança dos consumidores. A queda pontual das expectativas sugere, ainda, certa cautela em relação aos meses seguintes, mostrando que a recuperação ainda deve continuar ocorrendo de maneira gradual neste primeiro trimestre”, avaliou Rodolpho Tobler, coordenador da Sondagem do Comércio no Instituto Brasileiro de Economia da FGV (Ibre/FGV).

Houve melhora na confiança em 11 dos 13 segmentos pesquisados. O Índice de Situação Atual (ISA-COM) cresceu 2,4 pontos em janeiro, atingindo 88,0 pontos. Já o Índice de Expectativas

(IE-COM) caiu 2,0 pontos no mês, para 102,4 pontos. Apesar da queda no mês, o subíndice permanece três meses consecutivos na região do otimismo (acima dos 100 pontos), ressaltou a FGV.

Considerando as médias móveis trimestrais encerradas em janeiro, a proporção de empresas prevendo aumentar o total de pessoal ocupado nos três meses seguintes ficou em 15,5% (ante um resultado de 9,7% há um ano), enquanto a fatia que prevê reduzir ficou em 11,2%.


Seja o primeiro a comentar esta notícia

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!