Rio Grande do Sul é terceiro estado que mais fechou vagas em 2017 – Jornal do Comércio

O Rio Grande do Sul fechou mais de 8.173 postos de trabalho formais no ano passado, queda de 0,32% em relação ao ano anterior, conforme dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) apresentados nesta sexta-feira (26) pelo Ministério do Trabalho. No País, os últimos 12 meses registraram o fechamento líquido de 20.832 vagas.

Segundo as informações, o Estado foi o terceiro que mais fechou postos, atrás apenas de Rio de Janeiro (-92.192 postos) e Alagoas (-8.255 postos). Logo depois vêm Pará (-7.412 postos) e São Paulo (-6.651 postos). “São estados que, nos dois anos anteriores, tiveram resultados bem piores”, destacou o ministro do Trabalho substituto, Helton Yomura, ao detalhar os dados.

No Rio Grande do Sul, o fechamento de vagas se concentrou principalmente na Indústria de Transformação, que perdeu 6.385 postos formais de trabalho. Na Construção Civil, foram 3.371 postos a menos. Por outro lado, o Comércio abriu 5.950 vagas, e os serviços de administração de imóveis, valores imobiliários e serviços técnicos geraram 3.166 postos de trabalho, o que ajudou a diminuir o impacto negativo.

Entre as regiões do País, houve saldo positivo na geração de empregos no Centro-Oeste, com saldo positivo de 36.823 postos, e no Sul, onde foram geradas 33.395 novas vagas. Apesar da queda no Estado gaúcho, o bom desempenho da região Sul foi puxado por Santa Catarina – que fechou 2017 melhor resultado na geração de empregos no país (+29.441 postos) – e Paraná (+12.127 postos).

Já o Rio Grande do Sul registrou o fechamento de 25.459 vagas no mês passado, e o mesmo aconteceu com as 27 Unidades Federativas, com destaque para São Paulo (-116.391 empregos), Minas Gerais (-36.446 vagas), Paraná (-25.003 vagas), Santa Catarina (-22.278 vagas) e Rio de Janeiro (-15.578 vagas). “Mais uma vez, nota-se que em dezembro de 2016 e 2015 os saldos também foram negativos, mas com maior intensidade”, lembra Yomura.

Conforme o ministro, o fim do ano é historicamente um período negativo para o emprego. “Basta observar que mesmo nos anos em que o Brasil vivia o pleno emprego, o mês de dezembro tinha fechamento de vagas”, explica.

Os setores que mais contribuíram para o resultado negativo no Estado em dezembro foram a Indústria de Transformação, com queda de 13.312 vagas, e o setor de Serviços, com menos 5.101 postos. Já o Comércio fechou o mês com resultado positivo em 1.464 vagas.

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!