Bolsa de criptomoedas Coincheck deve indenizar 260 mil clientes – Valor

SÃO PAULO  –  A bolsa de criptomoedas japonesa Coincheck informou que usará seu próprio capital para reembolsar os clientes que perderam cerca de 58 bilhões de ienes (o equivalente a US$ 530 milhões) na sexta-feira, no maior ataque do tipo na história do país asiático.

O caso envolve a moeda virtual NEM e a empresa com sede em Tóquio reconheceu ser “improvável” que os ativos sejam recuperados.

A Coincheck disse que reembolsará os seus 260 mil usuários que foram vítimas do roubo, segundo a Bloomberg. Não foi informada a data para o pagamento.

No site da Coincheck consta um aviso de que certos pagamentos da empresa ficarão temporariamente indisponíveis a partir deste sábado. “O prazo para a retomada total dos serviços ainda não está claro. Os usuários ainda poderão entrar e acessar suas contas durante esse período”, diz o aviso. O depósito de NEM também está restrito.

A Agência de Serviços Financeiros do Japão (FSA, na sigla em inglês) distribuiu um alerta considerado incomum pela mídia japonesa: pediu a todos os operadores de câmbio de moeda digital no país para que revisem seus sistemas de segurança, informou o Nikkei Asian Review, jornal de Kyodo.

Esse ataque é superior a outro, em 2014, quando hackers roubaram cerca de 47 bilhões de ienes em moedas virtuais.

Fonte Oficial: Valor.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!