Bolsas da Europa fecham majoritariamente em baixa – Jornal do Comércio

Os mercados acionários europeus encerram majoritariamente em baixa o pregão desta segunda-feira (29) à medida que investidores realizaram lucros em meio a fortes ganhos vistos neste ano. O índice pan-europeu Stoxx-600 fechou em queda de 0,22%, aos 399,67 pontos.

Em uma semana com diversos drivers, como a decisão de política monetária do Federal Reserve (Fed, o banco central americano) e o discurso sobre o Estado da União do presidente americano, Donald Trump, os investidores agiram com cautela e aproveitaram o momento para realizar lucros após o rali visto neste início de ano.

No âmbito geopolítico, o Reino Unido obteve uma vitória em relação às negociações sobre a saída do país da União Europeia (Brexit). Os britânicos pediram dois anos de transição para implantarem mudanças depois do início do divórcio. A resposta dos 27 membros da UE foi de que esse período se estenderá até dezembro de 2020, o que totaliza 21 meses dos 24 solicitados. De acordo com o negociador-chefe da UE, Michel Barnier, em princípio, nada mudará nessa data em relação ao acesso ao mercado único, leis alfandegárias e direitos aos cidadãos em relação ao que se conhece hoje, entre outros pontos que ainda estarão em discussão nos próximos meses.

O índice FTSE-100, da bolsa de Londres, fechou em alta de 0,08%, aos 7.671,53 pontos. Entre os bancos, o Barclays caiu 1,12% e o Standard Chartered perdeu 1,24%. Em Frankfurt, o índice DAX recuou 0,12%, aos 13.324,48 pontos. Já na bolsa de Paris, o índice CAC-40 fechou em baixa de 0,14%, aos 5.521,59 pontos.

O índice FTSE-MIB, da bolsa de Milão, perdeu 0,23%, aos 23.801,55 pontos, enquanto o índice Ibex-35, de Madri, cedeu 0,38%, aos 10.555,60 pontos. Em Lisboa, o índice PSI-20 fechou em queda de 0,66%, aos 5.730,22 pontos.

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!