Bolsas da Europa fecham em queda com peso de realização, câmbio, petróleo e Trump – Jornal do Comércio

As principais bolsas da Europa encerraram o pregão desta terça-feira em quedas firmes, pressionadas pelo salto do euro em relação ao dólar, pela baixa do petróleo e por um movimento de realização de lucros. O índice pan-europeu Stoxx 600 terminou com recuo de 0,92%, aos 396,12 pontos.

Após longo rali desde meados de dezembro, as bolsas da Europa ensaiam desde a segunda-feira um movimento de realização desses lucros recentes. Com a perspectiva de políticas monetárias mais apertadas entre os principais bancos centrais, a onda de compra de ativos de risco parou ao menos momentaneamente.

“Há motivos para acreditar que veremos o mercado de ações voltar a subir, mas os investidores vão esperar mais detalhes do discurso que (o presidente dos EUA) Donald Trump fará mais tarde”, escreveu, em nota enviada a clientes, o analista do banco inglês IG Joshua Mahony.

Na madrugada de terça para quarta-feira, Trump vai fazer o primeiro discurso de Estado da União, no qual ele vai apresentar as prioridades e as diretrizes do governo, que podem ter impactos globais.

No cenário doméstico europeu, o Gabinete de Estatísticas da União Europeia (Eurostat) divulgou nesta manhã a resultado da primeira leitura do Produto Interno Bruto (PIB) de 2017. O indicador registrou alta de 2,5% no ano passado, o melhor desempenho desde 2007.

Apenas no quarto trimestre, a economia do bloco teve expansão de 0,6% ante os três meses anteriores e de 2,7% na comparação anual. A variação trimestral veio em linha com a projeção de analistas consultados pelo Wall Street Journal, mas o resultado anual superou a previsão de expansão de 2,6%.

O resultado do PIB da zona do euro deu suporte aos ganhos da moeda comum, que voltou a ser comercializada acima de US$ 1,24. O nível, no entanto, não é atrativo para as exportadoras do continente, que sofreram na sessão.

Em Frankfurt, os papéis da Infineon Technologies perderam 1,00% e da Bayer cederam 0,98%. O índice DAX fechou em queda de 0,95%, aos 13.197,71 pontos. Em Milão, as ações da Fiat Chrysler Automobiles recuaram 1,60% e o índice FTSE-Mib perdeu 1,35%, encerrando em 23.480,92 pontos.

Outro fator que pesou nas negociações nesta terça-feira foi a queda superior a 1% da cotação do petróleo, afetado pelo temor de que se desequilibre a relação entre a oferta e a demanda.

Assim, as companhias do setor foram afetadas nos principais mercados: a petroleira inglesa BP perdeu 1,49%, a francesa Total recuou 1,68%, a portuguesa Galp Energia cedeu 1,58% e a espanhola Repsol caiu 2,07%.

A Bolsa de Londres caiu para 7.587,98 pontos (-1,09%), a de Paris recuou para 5.473,78 pontos (-0,8750, a de Lisboa terminou em 5.692,40 pontos (-0,66%) e a de Madri cedeu para 10.428,20 pontos (-1,21%).

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!