Indicador de incerteza sobe 2,2 pontos em janeiro, diz FGV – Jornal do Comércio

O Indicador de Incerteza da Economia Brasileira (IIE-Br) subiu 2,2 pontos na passagem de dezembro de 2017 para janeiro de 2018, alcançando 109,6 pontos, informou nesta terça-feira (30) a Fundação Getúlio Vargas (FGV).

“O resultado de janeiro reforça a ideia de que será difícil, pelo menos no curto prazo, ver a incerteza econômica oscilar em torno de sua média histórica de 100 pontos. Apesar de as opiniões do mercado sobre câmbio e inflação estarem convergentes, como indica o IIE-Br Expectativa, há outros fatores geradores de incerteza que estão sendo capturados pelo IIE-Br Mídia. Neste caso, destaque para a situação fiscal, que continua em aberto e para as questões político-partidárias”, avaliou o economista Pedro Costa Ferreira, do Instituto Brasileiro de Economia da FGV (Ibre/FGV), em nota oficial.

O IIE-Br passou a integrar o calendário de divulgações de indicadores econômicos do Ibre/FGV no fim de 2016. O índice mensal é composto por três componentes: o IIE-Br Mídia, que faz o mapeamento nos principais jornais da frequência de notícias com menção à incerteza; o IIE-Br Expectativa, que é construído a partir das dispersões das previsões para a taxa de câmbio e para o IPCA; e o IIE-Br Mercado, baseado na volatilidade do mercado financeiro.

Em janeiro, a alta do IIE-Br foi determinada pela componente de mídia e de mercado. O IIE-Br Mídia subiu 1,7 ponto no mês, contribuindo com 1,5 ponto para a alta do índice geral, enquanto o IIE-Br Mercado cresceu 7,1 pontos, exercendo uma contribuição de 0,9 ponto.

Já o IIE-Br Expectativa recuou 0,8 ponto, contendo a evolução do IIE-Br no mês em -0,2 ponto.

A coleta do Indicador de Incerteza da Economia Brasileira é realizada pela FGV entre os dias 26 do mês anterior e 25 do mês de referência.

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!