Inflação menor e queda de juros ajudaram na recuperação da economia, diz Ilan – Jornal do Comércio

Os fenômenos mais determinantes para a conjuntura econômica brasileira do ponto de vista do Banco Central no ano passado foram a queda de inflação e de juros, que ajudaram na recuperação da economia do País, disse, nesta terça-feira (30) em São Paulo, o presidente do BC, Ilan Goldfajn.

Ilan Goldfajn disse que no final de 2015 e início de 2016, quando a inflação estava no pico, era muito difícil imaginar que a mesma atingisse o montante observado hoje. O IPCA encerrou o ano passado em 2,9%, abaixo do piso da meta.

Segundo ele, uma parte da redução da inflação foi ligada à atuação do BC, mas a queda maior do que o esperado ocorreu por conta da deflação dos alimentos, o que não está dentro do escopo de controle do Banco Central. “Isso não é algo que conseguimos influenciar diretamente com a política monetária”, disse em Conferência do Credit Suisse na capital paulista.

O presidente do BC disse ainda que a ancoragem das expectativas da inflação foi fundamental e lembrou que em 2016 os agentes de mercado projetavam para 2018 uma inflação da ordem de 8%. “A evolução das expectativas foi importante para a política monetária”, destacou. Ele frisou, ainda, que a queda da Selic no Brasil foi uma das mais rápidas do período de metas de inflação no País.

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!